terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Educar com humor: como fazer?

Como referi ontem, encontro-me numa fase de reflexão-analise de uma nova teoria da Educação (ihihih ainda vou virar lenda com tanta teoria). Deixem-me então clarificar o meu ponto de vista, para mim só faz sentido ser mãe se me dedicar a isso de corpo e alma, como já referi aqui, a partir do momento que decidi ter um filho sinto-me completamente responsável pelo seu desenvolvimento. Quero proporcionar-lhe todas as ferramentas para que se torne num bom-adulto e para isso sei que tenho que ter muita força, tenho que ser informada, dedicada, critica e muito paciente.
Quero ser a mãe perfeita aos meus olhos, quero olhar-me no espelho e confiar em mim e nas minhas decisões, mas sei que sou humana e que além de ter a fantástica capacidade de pensar e me adaptar também tenho “capacidade” para errar. Sou por natureza uma pessoa carinhosa com as crianças mas por vezes fico sem paciência (por estar cansada, por não compreender o porquê de uma birra ou uma zanga), o que me leva a combater comigo mesma para não tomar decisões irritada.

A maternidade tem-me desta forma ajudado muito, como o meu filho consigo ser paciente, consigo embora cansada e zangada respirar fundo e entender que é apenas uma criança a explorar o mundo. Posso dizer que sou feliz com isso e que ser mãe me faz mais serena, estou muito bem com a vida, ingrediente essencial para colocar a minha teoria em prática.
Sou feliz e sei que o Leo também o é e não é que veja o mundo com um filtro cor-de-rosa, mas sim porque penso, porque analiso e porque aqui educamos com humor, fazendo uso da serenidade, tranquilidade, criatividade, amor e muito carinho.

E sabem como isso funciona?
O passo mais importante para implementar a minha teoria é ser compreensivo(a). Se conseguirmos viajar para o mundo das crianças, vermos o mundo com os seus olhos e capacidade de análise do mesmo, procurando entender o seu ponto de vista (seja qual for a sua idade), já estaremos em vantagem. Nós como pais temos que aceitar que os nossos filhos têm outros pontos de vista e o seu coração segue sonhos que não têm que ser semelhantes aos nossos. O que para nós é insignificante pode para o nosso filho ser muito importante (por este motivo é vital não desvalorizar, por exemplo, medos, ansiedades, pontos de vista em discussões...). Se não formos compreensivos poderemos ferir os nossos filhos sem darmos conta disso.

A vida por si só já é demasiado seria. Claro que não devemos deixar que as nossas crianças vejam o mundo como um circo, não é a isso que me refiro, elas têm sem duvida de conhecer os seus limites. Defendo, no entanto, que quando nós pais procuramos encarar o dia-a-dia com os nosso filhos com uma porção saudável de humor todo fica mais fácil.
O Leo teve uma altura que detestava lavar os dentes, era muito complicado conseguir convencê-lo, até que um dia com toda a minha paciência e boa disposição cantei uma música infantil sobre lavar os dentes, fazendo gestos e risadas e sabem o que aconteceu? Desde esse dia que lavar os dentes é uma festa cá em casa, ele ri, dança e eu também :) Este é só um dos exemplos de como aqui em casa a minha teoria funciona.
Ele sempre gostou muito de comer, devora tudo com grande satisfação. Mas mesmo não havendo qualquer tipo de dificuldade optei por incrementar um pouco de bom humor na hora das refeições. Sempre que ele termina a refeição eu dou-lhe os parabéns com um grande sorriso, sempre fiz isso e hoje em dia as coisas até já evoluíram para palminhas para o campeão, ele diz “sopa, já tá” e bate palmas, e ri muito :)
E é deste humor sem hipocrisia ou desvalorização da criança como individuo que pretendo me alimentar todos os dias... Humor que eu chamo de saudável.... contar histórias fazendo entoações com a voz, cantar, rir, dançar, pular e falar muito.
Com humor qualquer um de nós vê o mundo numa perspectiva diferente, a vida fica mais leve, os problemas menos problemáticos. O humor liberta-nos e ajuda-nos a rir de nós mesmos. 
Pesquisadores do riso (sim é verdade, eles existem) provaram que as crianças riem todos os dias em média 400 vezes. E com o passar dos anos esta frequencia diminuiu drasticamente, o estudo diz que os adultos riem em média 15 vezes. Não é então de surpreender que muitos de nós passem a vida com o rosto sério e que levemos as situações da vida de forma muito séria e carrancuda.

Não quero com isto dizer que agora passemos a viver a vida com uns óculos cor-de-rosa. As crianças têm que compreender que existem regras e problemas. Os pais devem explicar que existem diferentes soluções para as dificuldades da vida. Que por vezes temos que ser rígidos e outras que podemos levar as coisas mais levemente sem nunca perder a serenidade e sem nunca esquecer o nosso papel de pais e orientadores.
Uma educação com limites e autoridade não exclui que tomemos o nosso papel com humor e alegria.
Espero deixar aqui o meu ponto de vista de forma clara, Educar com humor prevê confiança e uma atitude positiva perante a vida. Em cada sorriso, em cada brincadeira mesmo em momentos mais sérios, deixo que o meu filho note que eu o aceito como ele é, mesmo com as suas imperfeições. E acredito que isso o torne numa criança mais forte e confiante.

A partir de hoje eu não vou esperar que a vida me sorria, eu vou passar a sorrir para a vida!!! Sorriso gera sorriso.... Mãe feliz e bem humorada gera filho feliz e bem humorado :)
As crianças adoram piadas e bom humor. Sempre que possível: Riam juntos!!

8 comentários:

Mãe de Duas disse... [Responder Comentário]

Sofia, cheguei aqui pelo blog da Anne.
Que texto delicioso de se ler, temas e discussões interessantes! Adorei e vc vai me ver aqui mais vezes!

Bjs

Priscilla

Cora disse... [Responder Comentário]

Concordo plenamente!!

Hum...eu concordando por aqui?!! rs.
Quando discordo gosto mais, porque me faz refletir mais!*))

Gosto muito dos seus textos.
abraços.

Adriana Alencar disse... [Responder Comentário]

Concordo, o nosso estado de espírito influencia muito o das crianças. Também concordo que, por mais que tentemos, iremos errar em algo. Talvez o que realmente valha é a intenção de ser uma boa mãe, ou seja , dar o melhor de si e muito, muito amor.
Seu texto é excelente, compartilhei no twitter!
Bj
Adri

Flávia - Compartilhando Idéias... disse... [Responder Comentário]

Sofia, é invejável a sua força de vontade para tentar superar as dificuldades naturais de ser mãe para ser A Melhor.
Deus está vendo suas excelentes intenções. Com amor e dedicação, mesmo errando, todas as mães são sempre perdoadas! Erram amando e educando da melhor maneira que encontraram.
Um beijo querida

ps. obrigada pelo comentário lindo no meu blog sobre o nosso niver de casamento.

Luana disse... [Responder Comentário]

Tendo sempre bom senso nada é impossível.
Adorei seu texto e concordo plenamente!

beijos,
Luana

Filipa disse... [Responder Comentário]

Mais uma vez me brindas com um texto fabuloso - obrigada!- e nem imaginas como estava a precisar.
bjs

Susanapvs disse... [Responder Comentário]

obrigada por colocares em palavras o meu dia a dia de mãe..é bom sentir que não sou a única a pensar com humor nesta coisa tão importante como a educação..até os momentos mais sérios, podem ser menos pesados com o optimismo do humor

Sofia disse... [Responder Comentário]

Olá Susana,
Não tens que agradecer... eu é que agradeço o teu comentário
Se não levamos a vida com humor ela fica muito pesada, tem mesmo que ser assim para ser saudável :)

beijo

Enviar um comentário

Partilha comigo a tua opinião

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...