sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Porque feito por nós tem mais valor

Este ano o Natal tem um gostinho especial, a família está mais completa. :)
Ter um bebé em casa é bom demais, eu já nem me lembrava como é bom dormir agarradinha a um ser tão fofo. As primeiras noites foram difíceis, mas agora começo a entrar no ritmo e cama partilhada ajuda muito a não ficar tão cansada.

O Leo é um amor para o Lucas mas está a reagir de uma forma um tanto ou quanto estranha que me está a deixar sem paciência, tenho que respirar fundo muitas vezes ao dia para não começar a discutir com ele. Está super agitado e tudo o que eu digo para não fazer é exactamente o que ele faz, mas ele age assim somente comigo quando está sozinho com o pai ou a avó é o mesmo menino bem comportado e querido de sempre.
Estou a ficar sem ideias de como o ajudar a ultrapassar mais esta fase. Pensei que seria falta de atenção e tenho feito um esforço, por vezes além do meu cansaço, para brincar com ele, fazermos muitas actividades juntos, dizer-lhe mil vezes que o amo muito... mas mesmo assim não tem sido fácil. Alguma mamã de dois passou por isso??? E tem ideias???

E para fugir ao consumismo que me incomoda nesta época do ano e ao mesmo tempo divertir-me com o Leo, este ano a nossa casa está enfeitada só com cosinhas feitas pelo Leo (não temos enfeites de Natal comprados nem de outros anos, os únicos que tinhamos o papá aqui durante a ultima mudança decidiu deitar no lixo e como o nosso Natal normalmente é em Portugal não comprámos mais).


Já pensaram na quantidade de árvores que se cortam só para ao fim de menos de um mês irem para o lixo? Já para não falar no papel de embrulho, enfeites... e mesmo muitos presentes inúteis. Aqui na família já desde o ano passado que só as crianças são presenteadas, não gosto do Natal que dá maior importância aos presentes.

Para mim Natal é família, é passar a noite juntos a conversar no quentinho de casa com uns bolinhos e um chocolate quente :)

Construção da árvores de Natal de papelão
E por não ser uma imagem de consumismo desenfreado que quero passar aos meus filhos e sim valores humanos de partilha, amizade e do verdadeiro significado de ser familia, colocámos mãos à obra e passamos uma tarde muito agradável.
E com pequenos gestos vou construindo as tradições desta pequena família.



A nossa árvore de Natal :)

Os enfeites foram tirados daqui: http://krokotak.com/2012/12/koledni-igratchki-za-dekoratsiya-v-utchilishte/


UM FELIZ NATAL PARA TODOS

JUNTO DE QUEM MAIS AMAM





sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

O Lucas chegou :)

O Lucas chegou faz 5 dias, 15 dias antes do previsto.
Estamos bem, saudáveis e felizes.
O parto não foi o conto de fadas que desejava mas apesar de alguns problemas consegui o que mais desejava, ter o Lucas nos braços assim que nasceu, uma sensação indiscritível e que curou muitas feridas que trazia do parto do Leo.
Com mais tempo contar-vos-ei como tudo aconteceu.

Sou uma mãe feliz de dois meninos que me enchem o coração.


Vou saborear cada minuto deste Amor.
 Até breve

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Aniversário Montessori

Já faz mais de 2 meses que o Leo fez anos e eu tanto que queria contar a festinha que ele teve na escolinha mas só hoje consegui me dedicar a este post. Vale mais tarde que nunca, não é verdade?

A festa de aniversário dos 3 anos do Leo foi no quarto dia de escolinha, completamente em fase de adaptação. O Leo viveu o momento um pouco timido mas que a meu ver foi muito positivo, pois ele sentiu-se acolhido pelos amigos e o centro das atenções o que lhe deu força nestes primeiros dias.

Na pedagogia Montessori o aniversário de cada criança é festejado seguindo um ritual (se assim lhe posso chamar).
Numa festa de aniversário comum o foco são os presentes e as guloseimas. Numa festa de aniversário Montessori o ponto principal é a compreensão holística da vida, do decorrer do tempo.
Nesta cerimónia é feita a relação entre o Sol e a Terra. E a criança é levada a entender que um ano é o intervalo de tempo que a Terra leva a dar uma volta ao Sol. E com esta compreensão a criança é levada a contar a sua vida até ao momento, desde que nasceu até ao seu aniversário.

Na escola do Leo foi colocado um tapete no chão dividido em quatro partes em cada uma foi colocada uma imagem referente a cada estação do ano (Outono, Inverno, Primavera e Verão) e estas imagens foram circundadas com uma corda com 365 missangas grandes simbolizando os dias do ano. Em volta do tapete sentaram-se todas as crianças, no centro colocaram uma vela simbolizando o Sol e ao Leo foi entregue o Globo Terrestre.
Ele deu bem devagar 3 voltas à vela enquanto uma das professora mostrava fotografias desde o nascimento do Leo até ao dia do aniversário. Normalmente, as fotos são colocadas no tapete e a criança vai contando a história da sua vida aos amigos mas como o Leo ainda não dominava a língua foi a professora que explicou.

Na verdade acho que o Leo no momento não entendeu bem o que se estava a passar, por ser tudo novidade e pela dificuldade com a língua, mas eu expliquei depois toda a cerimónia. E hoje ele já viu outros aniversários e compreendeu melhor. :)



Acho maravilhosa esta cerimónia e é bem fácil de fazermos em casa com a família sentada em volta do tapete.
E seja qual for a idade da criança ela irá viver o momento e entender o que se está a passar.
Existem somente algumas explicações que temos que dar durante a cerimónia de forma a localizar a criança e também quem está a participar.
Na escola do Leo a professora começou assim:
- Acendeu a vela e explicou: "Esta vela simboliza o Sol, o Sol que nós vemos no céu. O Sol é uma bola de fogo enorme que nunca se apaga"
- Pegou no globo e dando a volta a vela bem devagar disse: "Este globo simboliza a Terra, o planeta em que vivemos. A Terra anda à volta do Sol e demora um ano a completar uma volta e durante um ano passamos por todas as estações do ano."
- Deu o globo ao Leo e pediu para ele dar 3 voltas bem devagar em volta do Sol. (aqui o Leo sentiu-se um pouco envergonhado, era tanta novidade para ele...) E então a professora iniciou a história da vida do Leo: "Hoje é o dia de anos do Leo, ele vai dar 3 voltas ao Sol pois ele faz hoje 3 anos. O Leo nasceu no final do Verão... "e foi mostrando as fotos e falando sobre cada uma. Foi lindo!

No final cantaram os parabéns e o Leo apagou a vela.
Foram todos para uma mesa na qual estava uma cadeira toda enfeitada com fitinhas e balões onde o Leo se sentou e partiram o Bolo de maça que eu mesma fiz :)

Existem outros tipos de cerimónias com pequenas alterações, mas eu achei esta linda e cheia de simbolismos, sei que conforme a idade das crianças as explicações dadas são mais complexas (a sala do Leo tem alunos dos 3 aos 5 anos).
Também já vi num livro que por vezes acrescentam às fotografias objectos que pertencem ou pertenceram à criança, trabalhos feitos por ela e mesmo cartas escritas pelos pais. Por vezes em vez das estações do ano são colocados os meses do ano.
Achei uma óptima ideia para um aniversário feito em casa.

domingo, 11 de novembro de 2012

Montessori: Adaptação do espaço da criança aos 3 anos - parte 2

Como havia dito no último post: Montessori: Adaptação do espaço da criança aos 3 anos - parte 1 (para quem não leu é só clicar), a nossa casa tem-se vindo a adaptar-se ao crescimento do Leo.

E por achar essencial que o Leo se sinta em casa, sinta que existe espaço para ele viver, criar e brincar sem que seja necessário estar sempre a dizer "não", "aqui não", "aqui é só para adultos" a nossa casa é uma casa adaptada onde como eu e o pai, também o Leo tem o seu espaço.

Hoje mostro-vos o quarto do Leo aos 3 anos de idade. O quarto é bastante grande, um pouco maior que o nosso quarto, já que aqui ele além de dormir tem o seu espaço de leitura, viagens e brincadeira.

A cama que já foi um simples colchão no chão é hoje uma cama maior onde a mamã também pode dormir junto quando quer miminho (sim a mamã precisa mais miminho que o Leo :) O Leo adora dormir sozinho ).  A cama tem apenas um edredom e assim o Leo pode fazer a sua cama sozinho facilmente.  
E umas fotos do Leo na parede, desde a primeira foto ao seu terceiro aniversário.

O cantinho da leitura com muitos livros, alguns jogos de tabuleiro, puzzles e um leitor de mp3.

O armário de brinquedos para brincar de "faz de conta", o mapa mundo, o cavalo de pau, peças de madeira e um tapete grande no chão.
Este armário tem essencialmente brinquedos que permitem brincar de "faz de conta", organizados por categorias de brincadeiras. Acho a organização de brinquedos super importante. Quanto mais organizado estiver o espaço da criança melhor ela brinca e mais fácil é ensinar a arrumar os brinquedos no final das brincadeiras.  Se tudo tiver um lugar fixo a criança tem mais facilidade em manter a ordem, e sim crianças precisam de ordem, elas são mais felizes assim.

Sobre o armário tem uma caixa de ferramentas para as inúmeras obras que o mestre Leo faz cá em casa :) e alguns carros. Na gaveta "supermercado" está a caixa registadora e alguns alimentos de madeira e garrafinhas. Na gaveta "cozinha" tem louças e um fogão.

Existe ainda a gaveta "Médico"onde estão os utensilios essenciais para tratar os ursinhos, a boneca e os papás de qualquer doença. A gaveta "Boneca e fantoches" onde estão os fantoches das nossas historinhas, a boneca e algumas roupinhas e a gaveta "Carros".

A Gaveta "Musica"onde podemos encontrar um tambor, um xilofone e um piano. E a gaveta "Comboio"onde guardamos as peças do comboio que no momento está montado no tapete.

Temos também um espelho de parede, onde o Leo adora observar-se vezes em conta :)

Visão geral do quarto. 

Este é o quarto do Leo, que daqui a cerca de um ano terá que partilhar com o irmãozinho mais novo e aí sim vamos ter que estudar bem como vamos fazer as adaptações para duas crianças de idades diferentes, mas esse é assunto para outro post.

Que acharam?

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Atelier Dinossauro - desafio aceite

Fantástico segundo post em um só dia :)

Mas não podia deixar de registar a actividade de hoje. O que fazer num dia de muito frio com um pequeno de 3 anos cheio de energia e vontade de aprender?

O Leo ganhou um livro sobre dinossauros que ele adora, explora o livro vezes sem conta. O livro tem imagens muito apelativas e algumas páginas são desdobrável.



E não vindo mais enquadrado à motivação do Leo, hoje a querida Ana Paula do Journal de Béatrice, (quem não conhece não deixe de passar por lá) lançou-me um desafio e mal o Leo chegou da escolinha lá fomos nós colocar as mãos na massa.

Atelier Dinossauro:

Nós também optámos pelo Diplodocus ou segundo o Leo, depois de explorar mais uma vez o seu livro, também poderá ser um Supersaurus, ambos herbívoros e pertencentes ao grupo dos maiores dinossauros.

- Recorte, pintura e montagem;



- E diversão; 


E como diz a Ana Paula, no meio da diversão aprende-se um pouco da história da Terra, da existência dos dinossauros, com um vocabulário simples e adequada à idade dos nosso pequenos.

Adoramos a nossa tarde, mais uma vez obrigada Ana Paula.

Agora ficou a promessa de fazer uns dinossauros voadores e uns carnívoros :)

Montessori: Adaptação do espaço da criança aos 3 anos - Parte 1

Bom Dia!
Queria muito agradecer o carinho e a força que me deram no último post tanto aqui como no facebook. Adoro-vos :)
O quadro clínico está estável e já estamos nas 33 semanas, cada dia uma vitória. 
Estou em casa a descansar a ser mimada pelos meus homens :) e vou 2 vezes por semana ao hospital para controle. Sinto-me mais tranquila.
E o bebé está óptimo.

------------------------------------

Quem conhece Montessori sabe que o ambiente que envolve a criança, o ambiente onde ela cresce  tem uma grande importância. Desde o primeiro dia de vida, os bebés devem sentir que pertencem à família e que têm o seu lugar em casa. E tal não é sinónimo de que a nossa casa se tenha que transformar numa casinha de bonecas. Pequenas adaptações no mundo dos crescidos bastam para proporcionar uma vida mais segura e justa para os nossos pequenos.

Basta organizar a nossa casa de forma que o nosso filho se sinta independente e autoconfiante tendo sempre em conta o seu bem-estar e segurança. Mantendo a casa organizada e a pertencer a todos, aos pequenos e grandes, tal conduz a um desenvolvimento mais equilibrado da criança.

Naturalmente que as nossas casas estão orientadas e pensadas para adultos, as casas de banho, os móveis... mas as crianças são muito pequenas, imagina as dificuldades que esta encontra? Umas pequenas adaptações e a criação de espaço de liberdade sem ser necessário dizer "não faças", "não mexas" só traz vantagens. 

Uma criança para se sentir bem e acolhida não precisa de muitos brinquedos e móveis caros. Basta um espaço que possa chamar de seu, um espaço em que se sinta livre para se desenvolver e que este esteja integrado no espaço dos adultos para que se sinta aceite, organização (esta sim faz toda a diferença, a organização tanto do espaço como da rotina da criança faz toda a diferença no seu humor e concentração) e muito amor e carinho.

Já falei das adaptações feitas cá por casa aqui e aqui (para quem não leu vale a pena clicar). E agora que o Leo já fez 3 anos algumas coisas foram mudando. Ele está mais crescido e independente e a nossa casa foi crescendo junto. 
Hoje abro as portas para vos mostrar o nosso lar.

Sala de estar: 
Este é o sitio em que passamos mais tempo juntos. O sofá, a estante de livros e a música são o ponto comum da família (não temos TV). E a sala fica completa com o cantinho do Leo. 


O armário dos brinquedos, a mesa com os cestos de Legos Duplo onde ele passa grande parte do seu tempo (é viciado em Legos :)), a mesinha de trabalho onde ele faz os seus desenhos ou brinca com massa de moldar e o quadro onde pode brincar com giz ou pintar com aguarelas em papel.

O armário de brinquedos ao qual ele tem total acesso, dividido em categorias: a primeira prateleira com livrinhos de actividades e muitos papeis, canetas, lápis, pinceis e tintas, carimbos, cola, tesouras com os quais ele pode criar o que lhe apetecer :)
A segunda e terceira prateleiras são alteradas conforme a motivação do Leo :) de momento temos a massinha de moldar, os cilindros sonoros (feitos pela mamã), um dominó, um jogo de memória, um tangram e os Legos mais pequenos.  

O cantinho das artes :) e as suas vasourinhas para manter a limpeza do seu cantinho.

Casa de Banho:
Aqui as adaptações também foram bastantes. O Leo consegue sozinho usar tudo sem ajuda, fazer as suas necessidades (chamando a mamã só de vez em quando) lavar as mãos, os dentes, pentear-se, está tudo de forma segura ao seu alcance, com o uso de um redutor sanitário, e uns banquinhos ficou muito fácil.



Cozinha:
Aqui as adaptações são menores agora, o cantinho da água self-service deixou de existir pois o Leo prefere servir-se directamente da mesa grande -  ele já é grande não é verdade :) 
Continuo a arrumar as louças que ele precisa e os alimentos, iogurte e leite  nas prateleiras mais baixas dos armários e frigorifico respectivamente. Mas caso ele queira alguma coisa fora do alcance eu que me livre de o ajudar... ele mesmo quer fazer sozinho, puxa uma cadeira sobe e pega o que deseja. Torna-se um pouco mais perigoso mas tento estar sempre de olho. E ele é cuidadoso.

Entrada: 
Um móvel pequeno para os sapatos e uma estante para colocar casaco, cachecol, luvas e afins estão à disposição do pequeno. 
E como ele mudou, como já falei por aqui o Leo sempre foi preguiçoso no quesito vestir e despir, calçar e descalçar, agora desde que frequenta a escolinha Montessori só quer fazer sozinho. E a mamã aqui agradece que com esta barrigona não fica fácil :)

Estas são as pequenas adaptações no nosso lar, as quais têm vindo a acompanhar o crescimento do Leo. No próximo post mostrarei o quarto.

Boa Semana

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Relato de uma gravidez de risco – HELLP SINDROME!


Depois da bonança também pode vir a tempestade...
Um Verão e os últimos tempos tão bons e hoje escrevo-vos a partir de uma cama de hospital...

Como quem já me conhece sabe estou na minha segunda gravidez seguida de de uma gravidez com um final bastante perturbado.
HELLP SINDROME é o nome que me acompanha deste o nascimento do Leo, uma doença de grávida que ocorre tão raramente que não existem estudos fiáveis das suas causas e que se do que se pode fazer para evitar o seu desencadeamento.

Adiei um pouco a segunda gravidez por medo mas a vontade de dar um irmão ao Leo é maior. E aqui estou eu grávida de 32 semanas e alguns dias, para mim é já uma conquista.
Todo o empo até aqui foi feito a contar as semanas conseguidas e não as que faltam... Fazendo todos os cuidados possíveis para evitar o desenrolar menos esperado, e a nuvem negra do HELLP volte a assombrar-me. Mas como já disse não há como evitar, simplesmente, posso deixa acontecer e permitir o melhor acompanhamento médico possível e a minha melhor condição física, para aguentar com o que possa acontecer.

Eu acreditava e culpava-me de ter feito alguns erros na última gravidez, achava que podia dar conta de tudo sozinha, trabalho, casa, mudanças e ia fazendo... mas agora sei que mesmo fazendo muita atenção, deixar casa em segundo plano, descansar muito, beber muitos líquidos e a natação não me livram de um grande susto. Garantem-me pelo menos uma maior disposição e capacidade física para enfrentar a doença.

Estou consciente que o HELLP pode sim acompanhar-me novamente e a única coisa que posso fazer é estar atenta a qualquer alteração no meu corpo e não ignorar como fiz da ultima fez achando que gravidez era assim mesmo.

Grávidas de plantão deixo aqui o meu alerta: façam um pré-natal consciente e fiquem atentas a cada alteração no corpo, gravidez não tem que ser dolorosa, não tem que ser um incomodo, não tem que ser passada com o corpo inchado ao limite.... Gravidez não é doença - se doer pode ser sinal que qualquer coisa não está bem – fiquem atentas.

Ignorei muito mau estar na minha última gravidez afinal “achava eu” tinha que ser eu estava grávida.
Desta vez estou muito mais atenta e embora não possa evitar o HELLP posso enfrentá-lo com mais força e confiança.

Estou desde sexta-feira no hospital, uma dor estranha no interior do calcanhar esquerdo já me andava a chatear fazia uns 3 dias fui ao médico de família e por surpresa minha a tensão arterial estava alta, tinha vestígios de proteína na urina e a dor do pé poderia ser indícios de trombose – o pior diagnóstico possível para quem é acompanhada pelo historial do HELLP.

Fiquei de rastos. Fui imediatamente encaminhada para a clínica que me acompanha a gravidez. E depois de muitos exames soube que o bebé estava bem e a tensão começou também a diminuir.
Estou aqui em observação embora o quadro esteja estável mas a minha história anterior não permite vacilo.
Fico aliviada que o problema não seja com o bebé, o problema é comigo e eu é que tenho que estar alerta.

Já levei 2 injecções para ajudar no desenvolvimento do sistema respiratório do bebé caso tenha que nascer mais cedo.

As dores no calcanhar continuam mas as hipóteses de trombose depois de um exame minucioso foram descartadas. Aparentemente as dores devem-se a um problema no nervo e serei encaminhada para um ortopedista . Como e porquê as dores surgiram ainda não sei. E o porquê da tensão alta e da proteína na urina e a relação com a dor ainda estão por explicar. E este fantasma do HELLP-SINDROME acompanha-me.

Agora resta-me manter a calma.provavelmente amanhã irei para casa e o acompanhamento médico irá continuar. Nada como confiar nos médicos e no hospital estou sem duvida em melhores mãos que na ultima gravidez.

32 semanas estão ganhas vou continuar a contar os dias na esperança de conseguir manter o meu pequeno o maior tempo possível comigo – quero muito um parto normal e sem stress... com saúde para curtir a chegada do meu bebé em pleno :)

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Escolinha Montessori - adaptação e dia-a-dia

Adaptação: 

Faz hoje um mês que o Leo iniciou a sua vida escolar :) a adaptação está a correr bem, melhor do que eu pensava. A primeira semana fiquei com ele só umas horas, a segunda semana ficou sozinho, sem choros, uns dias ficava um pouco triste mas depois ficava bem. A terceira semana foi só um dia devido a umas férias programadas na ultima hora - mas que foram maravilhosas - pensei que ele ia regredir por estes dias sem ir mas não, logo o primeiro dia depois das férias ficou lá sem mesmo se despedir de mim :)
Mas hoje exactamente o dia em que faz um mês ele ficou a chorar :( sai de lá com o coração partido...

Tenho notado que ele anda um pouco mais irritado cá em casa, faz mais birrinhas tem menos paciência e quer muito a mamã, mas na escolinha segundo as educadoras ele está bem e é super amoroso. Sei que também eu ando um pouco mais cansada e com menos tempo dedicada a ele, será esse o motivo do choro de hoje? Ele só quer é a mamã por perto...
Hoje vou planear bem a nossa tarde e não há dor de costas ou cansaço que me vão deitar abaixo, vou dedicar a tarde ao meu filho.
Outra coisa que me tem vindo a preocupar é a dificuldade de comunicação que o Leo tem na escolinha, embora pensasse que iria ser um problema grave logo desde inicio, parece-me que está a surgir agora. O Leo é super conversador, passa o dia a falar e por lá não consegue comunicar-se. Ele sabe muito pouco de alemão para manter o mesmo dialógo que faz em português e acho que isso o anda a fazer sentir-se frustrado. :(

Ele tem uma amiguinha alemã já faz quase 2 anos com a qual se dá muito bem, é maravilhoso de ver, com ela, ele fala em alemão e português e ela por o conhecer faz tanto tempo, entende o que ele diz :) na escolinha as outras crianças são super amorosas, ainda hoje queriam todos ajudar o Leo a ficar sem chorar, mas sinto que falta da parte dele essa facilidade de comunicação.
Isto deixa-me tão preocupada, coitado do meu pequeno... Mamãs ou papás que passaram ou passam a mesma situação, como foi com os vossos pequenos?  Não sei como o posso ajudar....
Ou será que estou a fazer uma tempestade num copo de água? E ele logo logo vai estar a falar alemão melhor que eu?! E hoje foi só um dia mau.
Falei com a educadora dele e ela disse que nota que ele comunica mais, mas que ainda brinca mais sozinho, mas na hora das musicas participa muito (ele até já canta em casa uma musiquinha da escolinha :) ) e que é muito bem educado - diz sempre obrigado e se faz favor em alemão :)


A primeira musiquinha que o Leo canta em casa: "O Outono chegou" :)

Dia-a-dia na escola Montessori:

Estou a gostar muito da escola e até agora vai de encontro com todos os meus ideais.
Uma escola pequena com duas salas cada uma com 14 crianças e duas educadoras por sala. Sendo que 2 dias por semana estão 3 educadoras por sala. As crianças têm entre 3 a 6 anos.
Acho maravilhosa a vantagem que esta diferença de idades traz, os mais velhos ajudam os mais novos e  aprendem a ser responsáveis e dedicados aos outros. Os mais novos por sua vez além de se sentirem protegidos têm a quem admirar e seguir como exemplo do que eles irão fazer a seguir.
Logo nos primeiros dias presenciei esta relação e fiquei fascinada. Uma criança mais velha foi voluntariamente sentar-se junto do Leo a ensinar-lhe um joguinho que o Leo tentava fazer.

O dia começa pelas 8h sempre com as crianças sentadas num circulo onde dão o bom dia umas às outras e cantam umas músicas, a educadora conversa com eles, dizendo o que irão fazer durante o dia. E é também hora de as crianças partilharem as suas experiência com os outros, por vezes levam livros ou brinquedos que querem mostrar aos amigos.
Em um dos dias que eu estive presente uma das crianças levou um xilofone feito por ela e o pai dela com tubos de ferro, lindo e fazia um som muito suave. todas as crianças ficaram em silencio ouvindo. :)
Depois segue-se um lanche com muita fruta biológica que é preparada na escola e o pão que cada criança leva de casa.
Não é permitido no lanche a criança levar bolos ou guloseimas, estes ficam restritos aos dias de aniversário em que é feita uma festa especial  - o Leo teve a sua festa logo na segunda semana, farei um post sobre o assunto - um aniversário Montessori.

Depois do lanche têm o momento Montessori, em que cada criança pode escolher o jogo que quiser (sendo por vezes orientada pela educadora) e onde são feitos momentos em grupo, individuais e educadora-criança. É um momento de muita concentração e dedicação de todos nas suas funções.

Segue-se o momento ao ar livre, faça sol ou chuva eles saem para a rua  e brincam no parque da escolinha que é enorme e tem muitos brinquedos.
Almoçam pelas 12h e fazem o momento de calma, no qual as crianças que querem dormir vão para um quarto e as outras ficam na sala a brincar com jogos mais calminhos, a educadora lê livros ou simplesmente ouvem musica e conversam.
E assim acaba o dia :) pelas 14h vou buscar o Leo, algumas crianças ficam até às 16h.

Durante a semana existem 3 dias em que a rotina se altera um pouco:  com o dia da música em que um professor de musica dá uma aula muito animada com muita musica, instrumentos e dança. O dia da ginástica e o dia do passeio na floresta que o Leo adora :)

E é aqui de o meu menino cresce e aprende! Tal como a mamã aqui tinha idealizado.
Como são as rotinas nas escolinhas dos vossos filhos?
E papás de filhos bilingues como correu com vocês?

Partilhem comigo

domingo, 7 de outubro de 2012

Voltei!

Como o tempo passa, mais 10 semanas que lá vão. Só já faltam mais 10 :)
Parei de escrever aqui por falta de capacidade, coisa séria mesmo, não consigo fazer textos com muito nexo. Acho que a gravidez me deixou menos capaz intelectualmente.
Mas, apesar das saudades daqui, posso garantir-vos  que tive dos melhores verões de sempre, aproveitei muito esta maravilhosa fase do Leo. Amo ser mãe, a cada dia que passa tenho mais certeza que este é o meu propósito, é o que realmente me faz uma mulher realizada: Ser Mãe.

Um passarinho :)
Passámos o Verão a aproveitar o sol, muitos passeios, muitos piqueniques, muitas brincadeiras e muitas alegrias. O Leo sempre foi muito conversador, mas agora está maravilhoso demais, é cada conversa, cada história, cada pensamento, cada raciocinio que nos arranca muitos sorrisos e admirações :)
E os desenhos que ele faz? Lindos.


Quanto à gravidez está tudo bem, uma vitória a cada dia que passa, não tarda estou a entrar no desconhecido, na minha primeira viagem de grávida na recta final.
Começo a ter algum inchaço, mas que a natação me tem ajudado a minimizar e estou bem mais tranquila.
Vamos ver até onde chegamos...
Está quase tudo preparado, hospital escolhido, roupinha seleccionada, só falta montar a caminha... e o nome... ai, ai, como está difícil decidir.

O Leo entrou na Kinderhaus (Casa das crianças), a escolinha Montessori dos nossos sonhos. A adaptação, apesar da dificuldade de comunicar em Alemão do Leo foi muito tranquila.
Nos 3 primeiros dias fiquei com ele, depois começou a ficar sozinho, os primeiros dias ficava triste quando eu ou o papá íamos embora mas nunca chorou :) Agora está completamente adaptado e feliz com a escolinha. Depois escreverei um post sobre esta maravilhosa escola :)

Agora deixo-vos mas não por tanto tempo, tenho tanto para partilhar que voltarei muito em breve. Espero que ainda passe aqui alguém... depois de tanto tempo sem escrever nada...

Mas voltei :) e estou muito feliz com a vida... e momentos como este só me podiam deixar assim :)
video

Um bom domingo para todos :)


quarta-feira, 25 de julho de 2012

Halbzeit - 20 semanas

Metade da gravidez já lá vai, como o tempo passa... Bem, espero eu que seja metade, quero muito levar esta gravidez até às 40 semanas e desejo muito conseguir o parto que idealizo. Mas também não quero ter muitas esperanças para não me sentir tão desiludida se assim não for.

As medidas estão a ser tomadas:
- descanso;
- caminhadas leves e regulares;
- 3 litros de água por dia (o que está a ser muito difícil);
- controlo do ganho de peso (até agora já cá estão mais 5,200 Kg);
- acompanhamento médico mensal;

No próximo mês vou começar um controle mensal especial, vou fazer um exame sanguíneo que vai ajudar a detectar quais as probabilidade de ter novamente Hellp-sindrome. (não sei o nome do exame mas assim que souber eu escrevo aqui)

Ontem foi o a segunda ecografia morfológica, está tudo bem com o bebé... e contrariamente ao que o médico achou na consulta anterior afinal vamos receber mais um menino :) O Leo sempre disse que queria um mano, ficou super feliz.
Nomes ainda não temos, (como é difícil dar o nome... ) queremos um nome que se diga igual em alemão e português e as dicas são bem vindas :)

Na próxima consulta vamos determinar com o médico qual o hospital onde vai ser o parto, para no caso de acontecer o mesmo que da ultima vez não seja necessário separar-me do meu bebé, acho que não aguentaria outra igual. Doeu muito e ainda hoje dói, não ter tido o Leo comigo nos seu primeiros 4 dias de vida. 
Desta vez vou preparar tudo com antecedência, hospital em caso de urgência e Geburtshaus em caso de correr tudo bem. A Geburtshaus é uma espécie de clínica mas bem mais familiar onde é feito o parto natural na presença da parteira e em que os médicos e todos os aparelhos de um hospital normal só aparecem se necessário. E ao fim de 2 - 3 horas de o bebé nascer iremos para casa. Ai como eu quero conseguir ter assim o meu segundo filho... 

- Deixo aqui um video de uma visita guiada a uma Geburtshaus, não é a que eu visitarei mas todas seguem o mesmo principio. (está em alemão)


E por agora está tudo a correr muito bem 
O bebé mexe-se muito, amo sentir-lo dentro de mim :)

Fiquem bem e enviem-me as energias positivas que conseguirem :)



segunda-feira, 16 de julho de 2012

Ajuda-me a fazer sozinho

"Ajuda-me a fazer sozinho" é a base da pedagogia Montessori, que aqui em casa seguimos muito à risca pois para nós faz todo o sentido que assim seja, que o meu filho se sinta capaz de fazer as coisas mesmo que estas tenham que ser adaptadas às suas capacidades ou demorem mais tempo a serem executadas.
Desde o jarro de água e do copinho que fica acessível a ele (já mostrei por aqui), ao adaptador da sanita, às escadas para poder sem problemas lavar as mãos, aos brinquedos acessíveis, ao armário pequeno onde guarda sapatos e casaco quando chega a casa, à cama baixa, são todas umas pequenas adaptações para que ele se sinta mais independente. E sempre participa em todas a tarefa do dia-a-dia (cozinhar, colocar a louça na mesa, arrumar o quarto dele) com gosto e quanto mais capaz se sente mais eu me sinto grata por ter seguido este caminho.

Sempre o incentivo muito a fazer as coisas sozinho, ensino, oriento e deixo que ele vá treinando, como ele mesmo diz.
Mas quando se trata de se vestir e despir é muito difícil insentivá-lo, ele simplesmente não quer nem tentar e como não quero força-lo tento arranjar maneiras divertidas para o motivar. A última que funcionou maravilhosamente bem e desde então sempre faz sozinho foi a MAGIA PARA VESTIR O CASACO :)
Apesar de por vezes ainda dizer "Eu não consigo"(frase típica do momento de vestir e despir) consegui pelo menos quebrar algum gelo. Penso que de agora em diante vai haver muita evolução :)

video
(Desculpem a posição do video :) )

E por aí os vossos filhos já se vestem e despem sozinhos?

terça-feira, 10 de julho de 2012

Convulsão febril

Criança não devia ficar doente nunca, não acham? Ainda bem que eu estava com as energias no máximo pois o fim de semana não foi fácil... Passamos uma noite no hospital. Como eu detesto dormir  no hospital grrrr

O Leo é uma criança muito saudável desde que nasceu e já lá vão quase 3 anos só ficou realmente doente, doente de precisar medicação, 3 vezes. Nunca tomou um antibiótico. As constipações e tosses que teve foram todas curadas com o meu xarope caseiro (receita aqui) e muito miminho. Segredo??!! só se for a amamentação exclusiva até aos 6 meses sem uso de suplementos e prolongada até aos 2 anos (da qual me orgulho muito) e da alimentação, segundo a mamã aqui tão rigida, sempre equilibrada (uma refeição principal tem sempre sopa de legumes, prato principal sempre acompanhado de legumes e fruta de sobremesa, nas restantes refeições ele come muita fruta, sumos naturais feitos pela mamã, frutos secos, produtos integrais e alguns produtos lácteos) - sou muito rigida quanto á alimentação do Leo e da minha família. Guloseimas ficam para muito raras excepções e estou sempre atenta à sua qualidade. Um afruta docinha deixa o meu Leo lambuzado e feliz como qualquer guloseima faria.

Mas hoje estou aqui não para falar das maravilhas de uma alimentação cuidada mas da convulsão febril,   este fim de semana o Leo teve pela segunda vez :( a primeira foi à cerca de um ano, não falei dela aqui pois era-me muito difícil recordar.

Para quem não sabe uma convulsão febril é o distúrbio convulsivo mais comum na infancia. Ocorre em  2 a 5% das crianças até cinco anos de idade. Ela é definida como "uma crise que ocorre na infância, geralmente entre três meses e cinco anos de idade, associada a febre, mas sem evidência de infecção intracraniana (como meningite) ou de doença neurológica aguda (trauma, tumor)". Normalmente não deixa sequelas, raramente ocorre mais de três vezes. A crise febril normalmente é generalizada e ocorre durante a rápida elevação da febre.
Começa de repente, no caso do Leo, ele fico estático com os braços rígidos ao longo do corpo, pele e lábios azulados, olhos vidrados e  sem reacção a estímulos e nesta segunda vez espumou da boca e durou na primeira vez cerca de 4 minutos e agora cerca de 1,5. O Leo voltou a si sem intervenção médica mas nem sempre assim acontece. É uma reacção nada bonita de se ver.
Na primeira vez eu entrei em panico pois pensei que o Leo tinha morrido nos meus braços eu não sabia o que estava a acontecer liguei o 112 e em 5 minutos tinha a casa cheia de médicos só depois no hospital é que eu consegui acalmar e aí chorei muito, foi muito difícil e por isso ainda me é difícil recordar. Esta vez, embora ficasse nervosa foi mais fácil pois eu sabia o que estava a acontecer.
Por causa de uma simples infecção na garganta que em dois dias está boa teve 39 de febre repentina coloquei paracetamol mas ao fim de 20 minutos fez a convulsão, quando os médicos chegaram estava com 40, de noite no hospital voltou aos 40 de febre mas no domingo ao fim da tarde a febre baixou e não veio novamente.
Quando isto acontece devemos deitar a criança e observar o mais calmamente possível e ver se a criança volta a si, ligar para o 112 ao fim de 1 minuto sem reacção.

Sei que existem vários tipos de convulsões e esta é de todas a menos grave, nem quero imaginar se fossem mais frequente, mas infelizmente existem crianças a passar por isso :(
Em regra, as crianças que sofrem convulsão febril são internadas, durante 24h, mais para que os pais se acalmem do que por causa da criança, as convulsões febris são benignas. A partir do momento que são diagnosticas e excluida a hipótese de ser outro tipo de problema deixa-nos a nós pais mais calmos.

O fim de semana não foi fácil mas agora estamos bem novamente :)

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Há como não ser feliz?

Sabem aquela limpeza geral que por vezes temos que fazer na casa, aquela de afastar os móveis todos e "destralhar" todas as divisões da casa? Pois bem, eu tive que fazer uma dessas limpezas, umas dessas organizações mas na minha cabeça.
Tirei um mês para me desligar de tudo e fazer a organização e reflexão necessária para continuar a minha vida em pleno, não que estivesse a correr alguma coisa mal mas estava tudo fora do lugar.
E em casa dos papás consegui renovar-me fisicamente e psicologicamente... hoje estou como nova a curtir muito o Leo, o marido e a gravidez que embora me traga muitas preocupações e ansiedade está a correr lindamente.
Tinha muita coisa a ocupar a cabeça e tudo muito desorganizado. Acho essencial estas pausas e desde que o Leo nasceu eu tinha-me esquecido de pausar um pouco.
Este desgaste estava-se se reflectir no meu humor e por vezes na falta de paciência. Tinha mesmo que ser... tiveram muitas saudades minhas? :)

E no meio do meu retiro de reflexão e relaxamento ainda houve tempo para morrer de amor: :)

Deitada a adormecer o Leo, com os olhos fechados e quase a viajar eu mesma no país dos sonhos, senti a mãozinha pequena e fofa dele a acariciar-me o braço, recebi um beijo na face e ouvi a voz mais doce do mundo a dizer:
"Dorme bem, gosto muito de ti"

Criança percebe mesmo quando estamos a precisar de um mimo.
Há como não agarrar , beijar e enlouquecer de amor?
Há como não ser Feliz?

Agora em pleno e muito feliz vou aproveitar muito o bom tempo para cumprir a minha missão como mãe e brincar muito com o Leo.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Horta na varanda é possível

Viver numa cidade tem muitas vantagens e numa cidade com Munique é mesmo muito bom. Temos tudo o que uma cidade desenvolvida pode oferecer, hospitais de qualidade, escolas, transportes públicos e muitos mas mesmo muitos espaços verdes. A unica coisa que falta para ficar perfeita e uma casinha com jardim aqui para a família :)
Mas enquanto isso não se proporciona ficamo-nos com um apartamento simpático mas sem um espaço verde privado onde possa fazer a nossa hortinha sendo assim e como eu e o Leo não somos de desistir de encontro com os primeiros limites fizemos a nossa hortinha na varanda.
Já tinha mostrado aqui que mesmo a nossa varanda sendo bastante pequena (3m x 1,60m) mantínhamos uma horta só para que o Leo tivesse noção que os legumes não existem só no supermercado (tínhamos tomate e morangos).

Acho super importante que as crianças desde cedo tenham uma ligação com a natureza e com o ciclo da vida. Quando vamos de férias é maravilhoso ver o Leo contente a correr pela horta dos avós e a colher os legumes e aqui consegui pelo menos dar-lhe um pouco desse gostinho.
Não nos alimentamos como devem adivinhar só daquilo que temos na hortinha, o objectivo principal é o Leo participar no cultivo e apanhar a sua própria comida para levar para a panela, nem que seja só de vez em quando :) E tem funcionado muito bem, o Leo come muito bem o que acredito ser também resultado desta ligação tão próxima com os legumes.

E este ano colocámos mãos à obra e fomos bastante ambiciosos mas está a correr muito bem:

Temos:
Courgette já com flor

Morangos 

Espinafres dos quais já fizemos bastante sopa e saladas 

Um tomateiro que logo logo estará cheio de tomates-cereja

Alfaces, a produção mais eficiente até agora, faz mais de um mês que andamos a cortar as folhinhas para salada e está sempre a crescer, já faz imenso tempo que não compro alface :)

Ervilheira, Feijoeiro e Rucola 

Todos plantados em vasos, os courgetes, as ervilheiras e o feijoeiro ainda estão em experiência, não sei se vai resultar se bem que os courgetes já tenham flores. 

Mas o mais importante é a ligação que temos com as plantinhas, e os momentos em que vivemos essa relação tratando delas juntos -regamos frequentemente e coloco fertilizante organico de 3 em 3 semanas.
Este fim de semana lutamos contra o inicio de uma praga de pulgões nos nossos espinafres mas o amigo google encontrou para nós uma receita que resultou mesmo: 

Receita contra pulgões:
- Borrifar as plantas com 1 dente de alho desfeito com o liquidificador ou varinha mágica em 1l de água. Deitei durante 3 dias e desapareceram os pulgões.
(Não usar em feijoeiros pois inibe o crescimento destes)

E a nossa hortinha continua saudável e linda :) 

E por aí também brincam de agricultores?  

terça-feira, 22 de maio de 2012

Bilinguismo - Papás portugueses na Alemanha

Ter a possibilidade de lidar diariamente com duas línguas e criar o meu filho neste ambiente é para mim um privilégio. Existe uma infinidade de estudos e opiniões sobre o assunto, todos são unanimes quanto às vantagens no desenvolvimento da criança e posteriormente na construção do seu futuro sendo que esta já leva uma bagagem com 2 ou mais línguas.
Já li muitos testemunhos de famílias que educam os seus filhos em ambientes multi-linguísticos e faz uns tempos que queria falar sobre como nós abordamos está questão cá em casa.
Quem já leu sobre o assunto sabe que existem alguns estudos que dizem que é importante para o desenvolvimento da criança separar bem as duas línguas, cada pai falar uma língua ou como no nosso caso, que ambos falamos português, separar os ambientes casa-rua (português-alemão). Também existem muitos que afirmam que criança que vive num ambiente bilingue acaba por falar mais tarde, misturar as línguas e ter problemas com isso.
Pois eu vos digo que cada caso é um caso :) Por aqui é assim:

O Leo começou a falar com 10 meses e sempre foi muito falador, passa o dia num blabla que só visto :) Inicialmente só falava português e o contacto que tinha com o alemão era reduzido, no grupinho de mães que frequentávamos e na natação, mesmo assim foi fantástico de ver como ele entendia o que a professora de natação lhe dizia - ele fazia o que ela dizia em alemão.
A partir do primeiro ano começamos a ouvir musica em alemão com mais frequência, a frequentar mais grupos. Eu percebia que o Leo entendia o que lhe era dito mas ele só falava português. Ensinei-lhe o nome de alguns animais em alemão e era a unica coisa que ele dizia mas só quando eu pedia.
Passado uns tempos ele começou a perguntar como se dizia determinada palavra em alemão (carro, pão, água...) E como ele via que sempre que saiamos de casa eu passava a falar alemão ele tinha essa fronteira entre as línguas muito definida.
Em casa ele dizia "Mamã quero água" na rua pedia somente "Wasser"(água).
E começou a pedir para eu traduzir o nome de objectos que ele não sabia e mesmo as conversas que eu tinha com as outras pessoas.
Neste momento tive algumas duvidas, sempre li que o ideal é separar bem as duas línguas e que as crianças aprendam a segunda língua tal como aprenderam a primeira, sem ser necessário traduções, simplesmente deixar fluir por osmose :)
Aqui não foi possível fazer isso... se ele perguntava eu não tinha como não responder.

Perto dos 2 anos começou a ver desenhos animados exclusivamente em alemão e também as suas relações com as outras crianças com quem saímos frequentemente a ficarem mais sólidas e comunicativas.
Hoje ele embora ainda não saiba falar muito alemão está muito interessado, entende muito e diz bastantes frases. O mais interessante é vê-lo comunicar-se com as outras crianças :)
Frequentamos um curso de musica e ele até já canta um monte de musicas em alemão :)

Em Setembro ficará certamente um expert em alemão com a entrada no infantário.
Mas o que eu acho mais relevante neste processo de aprendizagem todo é a separação que ele faz das duas línguas e as traduções que me pede.
O interesse que mostra é lindo de ver.

O assunto do bilinguismo era algo que me preocupava, tinha medo que o Leo se sentisse diminuido por não entender ou ser entendido, mas criança é uma esponja :) aprendem com uma facilidade fantástica e um interesse de meter inveja. Temos mais é que aproveitar esta fase.
E ele tem muito orgulho em saber alemão, por vezes nas brincadeiras aqui em casa ele fala com os seus carros e bonequinhos somente em alemão e já pede para as histórinhas serem contadas em alemão. E como o papá com os colegas do trabalho só fala em inglês o Leo já começou a perguntar como se diz em Inglês determinadas palavras.

E se saber várias línguas só traz vantagens vamos deixar o pequeno absorver tudo o que tiver vontade :)

Na minha humilde e singular experiência acho que este sucesso se deve muito ao facto de ele quando aprendeu as primeiras palavras em alemão já tinha o português bastante desenvolvido.
Vamos ver como vai correr com a entrada no infantário.

E por aí existem muito promissores a poliglotas?
Qual é a vossa experiência, contem para mim?

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Jogos de tabuleiro

Estando o Leo a caminho dos 3 anos e em Setembro entrará para a escolinha acho super importante ensiná-lo algumas regrinhas. Tenho para isso procurado Jogos  de tabuleiro para a idade dele e não tem sido fácil, ou têm muitas pecinhas que acho acaba por distrair muito do objectivo ou ficarem muito complicados ou é demasiado simples para o preço que custam.
Nós por aqui brincamos muito de imaginação, joguinhos de concentração, puzzle, Legos mas acabam sempre por ser jogos muito individuais, embora eu brinque muito com ele falta o espirito de equipa, falta o espirito de competição saudável e para isso acho os jogos de tabuleiro muito apropriados.

Os jogos de tabuleiro:
- Ajudam a estimular os raciocinio e concentração;
- A respeitar a vez de jogar , trabalhando a paciência (neste aspecto já ensinei o Leo desde cedo a respeitar a fila no parque para o escorrega ou outro brinquedo);
- A aprende a ganhar e a perder ajudando assim a criança a conviver com as adversidades da vida e resolver  problemas do dia-a-dia;

Sendo assim e como hoje chove, nada melhor do que iniciar a nossa aprendizagem e diversão. E para começar de forma bem simples e barata, construí eu mesma o nosso primeiro jogo de tabuleiro:

Enquanto a mamã fazia o jogo o Leo fez desenhos e cortou canudinhos
Fiz um jogo bem simples, retirando uma ideia de um jogo que vi à venda de uma corrida de caracóis :)
Numa folha A4 fiz as pistas e construí o dado com as cores escolhidas.




Depois é só escolher os protagonistas do jogo e jogar :)


Iniciamos o jogo jogando juntos, o Leo lançava o dado (valia a sala inteira :) ) via a cor que calhava e avançava com o bonequinho correspondente, se nenhum tinha a cor que saiu jogava novamente o dado e assim até o primeiro bonequinho chegar na meta. Durante o jogo eu ia perguntando quem estava em primeiro, quem era o ultimo, qual iria ganhar e ele pensava e respondia cada pergunta com muito entusiasmo.

Depois claro que tivemos que jogar com os carros, o tabuleiro ficou um pouco pequeno para o tamanho dos carros mas deu para jogar :) desta vez dois carros eram do Leo e dois eram meus. Ganhou um dos meus, ainda pensei que ele ia ficar triste, mas divertimo-nos tanto que ele nem ligou a quem ganhou :)


Agora o Leo foi dormir com a promessa que jogaremos mais depois do soninho. :)
Super recomendo
Fácil de fazer e com diversão garantida.





sábado, 12 de maio de 2012

Brincar com as crianças - dicas 3

Hoje estão menos 20 graus que ontem, este tempo deixa-me doente.
Ontem passamos a manhã na piscina de plástico na varanda e a tarde nas piscinas aqui da vizinhança... o Leo divertiu-se à grande. Ultrapassou mais um dos seus medos, escorregar no escorrega da piscina... depois que conseguiu passou a tarde toda só a escorregar... foi muito bom de ver o meu pequeno todo orgulhoso :)

Com uns dias tão activos esta semana como vamos ocupar o dia hoje dentro de casa??? Não vai ser fácil...
São 10 da manhã e já consegui 30 minutos de diversão e criatividade.

Desenho criativo 
(Vi esta ideia faz já algum tempo num site de uma mãe americana mas lamentavelmente não me lembro mais onde foi)


Material: canetas de pintar, carros e folha de papel (ideal é uma de grandes dimensões)

Prender as canetas nos carros com fita-cola e pronto é só deixar a imaginação fluir.



O Leo continua lá a fazer estradas :) vou brincar um pouco com ele 
Bom fim de semana

domingo, 6 de maio de 2012

Aqueles que nunca foram crianças

Existe um espécime humano que me parece que nunca foi criança ou então não o deixaram ser (o que não deixa de ser muito triste) ou pior ainda, um espécime que durante o seu desenvolvimento deixou de ter vida própria e passa o dia a "rosnar" sobre a vida dos outros.
Conhecem este espécime?

Não estou ressentida, nem chateada com ninguém em particular, tanto que, o meu estado de espirito do momento é de completa harmonia com o mundo e indiferença aos que não acrescentam nada na minha vida.

Mas digam-me lá minha gente, se não é triste ver pessoas intolerantes a crianças. E não estou a falar daquelas crianças que fazem uma tamanha birra num local fechado ou aquele bebé que chora não se sabe bem porquê incansavelmente... porque nestes casos eu até consigo entender que possam estar a incomodar. Eu mesma como mãe numa situação dessas me sinto incomodada por estar a incomodar e se possível afasto-me do local para acalmar a cria.
Claro que quando não é possível espero alguma tolerancia das pessoas que nos rodeiam.
Birras exageradas e choros de fome são de certa forma culpa nossa, dos pais, e temos, a meu ver, de minimizar ao máximo a sua ocorrência de forma a não provocar mais inimigos.

Mas o espécime que me refiro é aquele que se incomoda com a normal vivência da criança: o correr, o cantar, o explorar do mundo e mesmo o xixi que escapa no meio de uma brincadeira (sim podem acreditar).
Vivo num bairro com muitas crianças, no qual existem vários parques infantis, vários privados e 2 públicos. Os parques públicos ficam na zona de prédios novos, os quais foram projectados aquando a construção do bairro, ou seja, todas as pessoas que compraram ou alugaram apartamentos sabiam da sua existência.
Eu não alugo casa junto à linha do comboio porque não gosto do barulho do comboio, certo?

Pois bem, o que se faz a alguém que se incomoda com o barulho que crianças fazem a brincar porque escolheu viver junto de um parque de crianças?
Lembrar-lhe que um dia já foi criança? Lembrar-lhe que as crianças são necessárias nem que seja para um dia lhe pagarem a reforma...
Fiquei tão indignada com o comportamento de uns destes espécimes que não consegui ficar sem partilhar com vocês...
Um destes espécimes foi capaz de pegar na mangueira do seu jardim e "regar"um criança de 2 anos e pouco que balançava no baloiço. Podia ser o Leo... fiquei parva quando soube da história. E parece que a mãe ficou também que nem soube como reagir... este espécime merece ser considerado humano?

Mas a história não acaba aqui... esta semana o Leo brincava na caixa de areia com uns amigos de repente disse que queria fazer xixi, não dando tempo para ir até casa afastei-me um pouco do parque e o Leo fez o seu xixi junto a uma árvore. Fique claro que não é uma prática comum (mas que por vezes acontece com os pequenos que brincam no parque) e que se fosse eu aguentaria, mas o meu filho tem 2 anos e meio não consegue aguentar como eu, certo.
Qual não é o meu espanto quando chega um senhor, vindo directamente do seu jardim, muito indignado e achando-se cheio de razão reclamar conosco... que o que fazíamos era errado. Disse-lhe simplesmente que se tratava de uma criança e virei costas, ele lá continuou a barafustar.
Como pode existir gente tão pouco gente???
É triste de ver... Será que nunca foram crianças??
Ou então serei eu que estou errada?

O que mais me deixa com pena desta gente é saber que SE FOSSE UM CÃO a fazer xixi na árvore não haveria problema nenhum. Este mundo está muito estranho...


sexta-feira, 4 de maio de 2012

Voltei e com novidades

Ai que saudades daqui... sentiram a minha falta? Eu senti a vossa :)

O ultimo mês foi um pouco complicado, tenho andado muito cansada e sem capacidade para escrever e o Leo também tem dado muito trabalhocom algumas birrinhas (ou a mamã aqui é que anda com menos paciência). O que vale é que está um tempo maravilhoso e acabamos por passar a maioria do nosso dia na rua a brincar no parque.

Amigas estou muito feliz, cansada, preocupada, super enjoada mas MUITO FELIZ :)
Pois é não aguento mais sem partilhar por aqui... escrevo aqui sobre mim como mãe, sobre educação, sobre o desenvolvimento do Leo não podia deixar de escrever também sobre o próximo passo, não é verdade?
Estou grávida de 8 semanas, quem trouxe a noticia foi o coelhinho da Páscoa :) e quem vem entregar a encomenda é o Pai Natal :) se tudo correr bem nascerá pelo dia 15 de Dezembro.
Estamos muito Felizes :)

No entanto, não me consigo esquecer que se trata de uma gravidez de risco, como muitas de vocês devem saber a gravidez do Leo não terminou muito bem, tive Hellp Sindrome, como já contei aqui.
As hipóteses de voltar a acontecer são elevadas, mas como diz o meu médico agora sabemos que pode acontecer, não acontecerá como da outra vez que estive eu e o Leo em sofrimento 3 dias sem saberem o que tinhamos.
Já comecei a fazer uns exames extras para que o acompanhamento da gravidez seja mais intenso e para que seja detectado a tempo.
Hoje fui a uma consulta e está tudo bem, o médico falou-me de um exame ao sangue que é muito recente e que pode mostrar as probabilidades de vir a ter o sindrome de novo, quando tiver mais pormenores sobre o exame que é feito pelo 4 mês falarei aqui.
Também fui aconselhada a fazer o exame de ultra-som onde será medida a Translucência Nucal do bebé, permitindo assim calcular o risco de uma anormalia cromossomica (alguma de vocês já vez este exame?) este exame é feito entre as 12 e as 14 semanas de gravidez e o risco do bebé ter anomalias cromossomicas como é o caso do sindrome de Down é maior a partir dos 35 anos, eu tenho 30 mas mesmo assim o médico aconselha. Quem tiver interesse em saber mais sobre este exame poderá ler aqui. Em principio vou fazer o exame, é um exame não evasivo, um simples ultra-som e que me vai pelo menos dar respostas que não terei necessidade de trazê-las na cabeça até ao final da gravidez.

Agora basta-me ficar atenta ao meu corpo, ter calma e ultrapassar esta fase de enjoos que está a ser mais intensa que da última vez. Sinto-me bastante preocupada com o que pode acontecer, mas foi o risco que escolhi correr, quero muito ter outro filho e vou fazer de tudo que estiver ao meu alcance para que a gravidez corra o mais tranquilamente possível.
Tenho sonhos como tinha na gravidez do Leo: o parto normal é o maior de todos, mas agora sei que se tiver o sindrome não será possível mas pelo menos escolherei um hospital que me possa assistir a mim e ao meu filho(a) sem termos que ser separados. A separação de 4 dias do Leo, sem sequer ter olhado para ele, foi e é ainda hoje uma dor muito grande e não quero passar por isso de novo.

Mas tenho que ter pensamento positivo, que o meu novo tesouro merece se desenvolver num corpo tranquilo e feliz. :)





terça-feira, 17 de abril de 2012

Quando usar a tesoura

Ando como muitas ideias mas sem capacidade para escrever :( Está difícil escrever um texto com pés e cabeça... Propos-me a escrever sobre alguns assuntos e as ideias fervilham mas não sai texto que se possa ler.
Lamento mas talvez fique um pouco ausente daqui ou escreva somente coisinhas simples e mais práticas, como é a questão do uso da tesoura.

A partir de que idade a criança é capaz de usar uma tesoura?
Não sei, como em tudo cada criança tem o seu momento. O Leo tem 2 anos e meio e já faz alguns meses que lhe apresentei a tesoura, não sei se já está na idade mas quis ver no que dava. Ele ainda não consegue recortar seguindo linhas ou formatos mas gosta muito de cortar aleatoriamente, penso já ser um bom exercício para depois fazer recortes.

Que tipo de tesouras usar?
A compra da tesoura deu algum trabalho passei uns tempos sem saber que tipo de tesoura seria ideal. E existem imensas de muitos formatos e materiais.
Existem umas com lamina em plástico que talvez sejam mais seguras mas lembro-me de os meus sobrinhos terem umas e aquilo nem o papel cortava era uma frustração para os miúdos e em pouco tempo a minha irmã comprou outro tipo de tesoura.
Então optei por uma o mais parecida possível com o que na realidade é uma tesoura :) com lamina de metal, sem bico e uma pequena protecção que ajuda a evitar cortes nos dedos. Confesso que não estou totalmente satisfeita, mas enquanto o Leo não tiver melhor precisão de corte esta serve, em falta de melhor opção.


Como fazer para eles aprenderem sem se magoarem?
O momento de brincar com tesoura é sempre na minha presença atenta, brincamos sempre juntos. Falei com o Leo de como deve usar a tesoura e os cuidados que tem que ter e ele é bastante atento quando a usa. Ele sabe o que pode e não fazer com a tesoura.

Existem muitas formas de treinar o corte. Papeis muito finos e moles não são boa opção para o inicio pois torna-se mais difícil coordenar a posição do papel e da tesoura.
Por aqui usamos diferentes materiais:

Papel grosso:

Massinhas de moldar:

 Palhinhas ou canudinhos (vou guardando os usados e o Leo adora - é o que ele mais gosta de cortar):

A próxima fase será fazer recortes de desenhos, já tenho umas ideias depois mostro :)


E por aí como é? Já conhece a tesoura o vosso pequeno? E que tipo de tesoura é melhor para iniciar? Contem-me tudo? :)

Beijinhos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...