terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Regras para os pais na perspectiva de um filho

Se eu quando criança tivesse o nível de compreensão do mundo que tenho hoje, certamente teria ajudado os meus pais na minha própria educação. Teria ditado regras para me tornar numa pessoa melhor. Não que meus pais tenham sido maus pais, não que tenham falhado, mas certamente teria sido mais fácil (para mim e para eles) se eles tivessem olhado o mundo com os meus olhos de criança, quando tomavam decisões na minha educação, como qualquer pai. Penso isso muitas vezes na educação do Leo, é dificil educar, é dificil saber se estamos a tomar as decisões certas mas para mim é ainda mais dificil quando as tomo sem olhar o mundo na sua perspectiva.
Ajuda tanto tomar decisões quando tentamos olhar com os seus olhos... pensei nisso.
Viajei até a minha infância e levei comigo a minha compreensão do mundo escrevi as minhas regras (talvez mesmo assim fiquei algumas por ditar) com o objectivo de, chegada da viajem, as possa ler sempre que a razão me falhar como mãe, sempre que entre em conflito com o meu filho, sempre que estiver perdida vou me apoiar nas regras da minha infância.

E eu ditei ouvindo minha infância:
  • Não tenha medo de ser firme comigo. Eu preciso saber até onde posso ir, quais os meus limites - assim torna-me-ei um adulto confiante e honesto;
  • Não faças sempre a minha vontade, um dia mais tarde eu não vou ter tudo o que quero, o que eu quero nesses momentos é colocar-te à prova. O teu forte e justo "não" fará de mim alguém melhor, reforçará meu ser interior;
  • Não fiques magoada quando eu te dizer: "Eu te odeio". Eu nunca te odiarei, eu só não vou gostar que abuses do teu poder para frustrar os meus planos. Nesses momentos peço-te espaço e calma e quando a poeira baixar não deixes de me explicar as tuas razões - quero ser um adulto razoável e capaz de ouvir um "agora não";
  • Dá-me espaço para eu experimentar, errar e aprender com os meus próprios actos. Preciso ter consciência das minhas acções. Peço-te que me protejas e intervenhas só quando eu mostrar que poderei me perder. Quero sentir a minha auto-estima a fervilhar quando a experiência dá certo. Quero ser alguém capaz de ir à luta e construir o meu caminho e tu serás o meu guia, nunca a minha barreira;
  • Se estiveres sempre a reclamar, se só me chamares a atenção para o que faço de errado, eu colocar-me-ei automaticamente em estado de surdez para a tua voz. Mostra-me que estás contente e orgulhosa quando eu me esforço... preciso do teu elogio para me sentir bem comigo, para manter a minha auto-estima;
  • Nunca quebres as tuas promessas. Sejam elas recompensas ou castigos, sejam elas atitudes do dia-a-dia ou uma surpresa esporádica. Eu ficarei muito desiludido;
  • Elogia-me mesmo no caso que eu falhei, pelo simples facto que tentei;
  • Deixa-me escolher os meus próprios amigos, mas explica-me primeiro com o teu exemplo o que é ser amigo para eu saber o que procurar;
  • Se tiveres que me repreender frente aos meus amigos peço-te seriamente que o faças com todo o respeito. Não me exponhas, mesmo que tenhas razões fortes para a repreensão. Peço-te que sejas paciente comigo eu estou em fase de aprendizagem. Quero ser alertado quando estou errado mas não quero sentir-me humilhado. A humilhação é parceira da revolta - e eu não quero me sentir revoltado contigo;
  • Apresenta-me actividades adequadas para a minha idade. E brinca comigo, ensina-me a divertir-me.
  • Se eu tiver duvidas por favor nunca deixes de arranjar tempo para me explicar, eu não quero me sentir perdido na procura de respostas. Quero saber contar contigo;
  • Não fiques frustrado se não conseguires responder a todas as minhas perguntas, sabes mais que eu mas não tens que saber tudo. Podemos procurar a resposta juntos;
  • Não acho que a tua dignidade ficaria danificada se por vezes me pedires desculpa, os humanos erram, certo? Tu também tens esse direito. Quando for necessário pede-me desculpa, aumentarás a minha confiança em ti;
  • Se eu chorar, me chatear sem motivo aparente, ajuda-me pois o mundo para mim por vezes assusta, é tudo novo, grande e incompreensível. Eu não choro e birro só para te chatear disso te deixo certa;
  • Leva a sério todos os meus medos, mesmo que sejam incompreensível para ti, eles são muito reais como todos os meus sentimentos; 
  • Procura-me amar quando eu menos merecer pois é quando eu mais preciso;
  • Eu amo-te, mostra-me com actos, exemplos e muito carinho que também me amas... prometo que se o fizeres eu te retribuirei cada momento que me dedicaste;
Se seguires as minhas "regras" será certamente mais fácil para mim seguir as tuas.

8 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse... [Responder Comentário]

Se duvida algo a refletir e a por em pratica!

Dayane Cavalcante disse... [Responder Comentário]

Ai que lindo...Realmente seria mais fácil se conseguissemos entender tudo que os nossos filhos tem para nos passar.
Também sempre pensei que seria mais fácil para os meus pais se eles pudessem saber o que realmente se passava comigo, e prometi para mim mesmo que vou tentar compreender melhor os sentimentos e atitudes do meu filho...Tomara que eu consiga!!Ótimo post, mexeu realmente com os meus sentimentos...

Escola Virtual para Pais disse... [Responder Comentário]

Oi, Sofia,
Ficou lindo seu post! Realmente a gente deveria entender o mundinho deles melhor!
Linkamos na página da Escola Virtual para Pais, ok?
bjks,
Marcia

Camila disse... [Responder Comentário]

Adorei o post! Se eu pudesse voltar atrás, tbem daria uns toques nos meus pais! Mas, acredito nas boas intenções de quem está educando, a gente sempre acha que está fazendo o melhor para o filho, né?! Mas as dicas são sempre válidas e benvindas!
Bjos,
Camila
www.mamaetaocupada.blogspot.com

Luciana Marotti disse... [Responder Comentário]

Sofia, retribuindo a visita ao meu blog, passei no seu e adorei. Textos extremamente sensíveis, de bom gostos e interessantes até para quem, como eu ainda não é mãe. Já estou seguindo e recomendei para as minhas amigas mães.

Anne disse... [Responder Comentário]

sofia, seus posts são sempre incríveis e cheios de razão!
nunca disse à minha mãe que a odiava, mas já vi algumas mães sofrerem com isso... como podem ser cruéis os filhos e que bacana ser um pai que pensa na frente para se preparar para situações como essas!
bjos

Rosangela Vali disse... [Responder Comentário]

Sofia, prazer em conhecer vc e seu belo trabalho.
Que material rico.
Fico feliz por estar aqui e me tornar a numero 200 na sua lista de seguidores. 
Parabéns,  pela conquista. Dedico a vc o selinho do meu blog,http://rosangelaprendizagem.blogspot.com.br/. VC merece!
Conte sempre comigo.
Fique com Deus!
Bjos, Rosangela

http://rosangelaprendizagem.blogspot.com.br/ 
http://rosangelavalipsicopedagogia.blogspot.com.br/ 

Sofia disse... [Responder Comentário]

Olá Rosangela,
nunca pensei chegar a esta dimensão 200 seguidores :) Seja muito bem vinda. Fico muito contente que faças parte deste meu cantinho ele está aberto para ti :)

Muito obrigada pelo selo é lindo :) logo que tiver algum tempo vou postar, tenho uma série deles em atraso... ai ai mas fica desde já agradecido :)

beijos grandes e nào deixes de ir dando por aqui a tua opinião

Enviar um comentário

Partilha comigo a tua opinião

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...