quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Mãe a tempo inteiro e a Sociedade

Para se decidir ser Mãe a tempo inteiro tem, sem duvida de se abdicar de muita coisa tanto a nível financeiro como a nível profissional... o que pode trazer algumas duvidas e receios. No meu caso, pensei que não me iria sentir completa mas enganei-me, sou uma mãe e dona de casa realizada e feliz.
No entanto, excluída dos contactos profissionais a sensação de estar a desligar do mundo pode fazer-se sentir. é muito importante manter firme o nosso leque de amigos, sair, arranjar tempo para o casal, ler jornais e manter-se actualizada... Porque senão, não tarda só saberemos falar de crianças :)
Uma Mãe a tempo é muitas vezes alvo de criticas por parte dos outros, confrontada com perguntas do tipo: "Como és capaz? O que é que fazes durante o dia todo?", não é fácil. Eu respondo, que raramente tenho 5 minutos para me sentar no sofá, ter um bebé não se pára o dia inteiro; é um esforço que passa pela vontade de estar com os nossos filhos e dar-lhe o melhor e o confronto de ter tirado um curso durante cinco anos, estar a trabalhar e voltar a ficar em casa...
Quando se toma a decisão de ficar em casa, um dos maiores constrangimentos é, obviamente, deixar de receber um ordenado. A maioria das famílias depende de 2 ordenados e torna-se difícil prescindir de um deles. Uma mãe que pretenda tomar conta dos filhos é considerada inactiva e não tem ajudas. Em outros países como no caso da Alemanha, ser Mãe é considerada uma profissão, existem apoios financeiros, de saúde e os anos como mãe contam futuramente para a reforma.
Lamento que, ser Mãe a tempo inteiro, não seja apoiado pela Sociedade em geral, pois do meu ponto de vista só existem vantagens para todos, uma Mãe dedicada ajudará sem duvida na construção de uma sociedade melhor... de um mundo melhor...
Lamento a tendência das empresas em prolongarem os horários de trabalho, por um lado as pessoas tem receio, porque o mercado de trabalho está péssimo, e hoje em dia existem mesmo empresas em que a pessoa  é mal vista por sair a horas (o que é bom e bonito é sair fora de horas). E por outro, existem os "Workaholics" da nossa geração, gostam de ter filhos mas não se importam de os ter longas horas em colégios e amas. E a vida passa assim...
Acho óptimo que as crianças frequentem as escolas e outras actividades para evoluírem, mas a educação tem de ser em casa e não é em poucas horas que ficam disponíveis depois de um dia cheio de trabalho, cansados e sem paciência, que se educam crianças, que se dá carinho, que se dá amor e que se dá atenção...
Cada vez existem mais crianças sozinhas, crianças cujos pais têm mesmo que trabalhar e que estão o dia inteiro entregues a si próprias...
Estou convencida que muitas mulheres, se pudessem escolher, não hesitariam em ser Mães a tempo inteiro, mas, infelizmente a maior parte delas tem mesmo de trabalhar...esta é a sociedade que temos...

2 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse... [Responder Comentário]

Eu felizmente tenho essa sorte! Sou mãe a tempo inteiro!

Os que os outros dizem? sinceramente passa-me ao lado. Somos uma família feliz e vivemos segundo as nossas opções... e isso é o que interessa.

Cora disse... [Responder Comentário]

Concordo plenamente com você!
Hoje trabalho, mas quando for mãe quero me dedicar integralmente aos meus filhos...!
Ser mãe é o melhor papel de uma mulher!!

Beijos, Cora.

Enviar um comentário

Partilha comigo a tua opinião

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...