sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Quando não acontece só aos outros: repensar a nossa atitude na estrada

A aproximação do Natal não me traz só boas recordações, traz consigo também tristeza, magoa, saudade... Faz agora 4 anos que esta época do ano ficou mais cinzenta para mim e toda a minha família.
E porque vos conto agora isto, porque quero partilhar tristeza numa época do ano que partilhamos tantas alegrias?
A resposta é simples, porque quero chegar a mais gente, porque quero que sejam todos mais conscientes, porque quero viajar e andar de carro sem ter medo, tristeza e revolta.
Tinha na altura 23 anos, tinha terminado um curso, tinha trabalho, era feliz com a família e tudo corria bem quando numa fracção de segundos, num cruzamento a meio da noite um camião em excesso de velocidade e um semáforo desligado mudaram sua vida por completo.
A minha prima e grande amiga deixou a sua força de viver naquele dia, com inúmeras fracturas, traumatismos foi para o hospital, seguiram-se operações sem conta e um longo coma induzido.
Lembro-me quando a minha mãe me telefonou a contar o sucedido, na altura estava em Portugal e a minha prima na Alemanha. Tive imediata noção da gravidade da situação, chorei... chorei muito... passei dias a ler artigos na Internet... e mais triste ficava. Toda a família tinha esperanças que ela acordasse bem, mas no fundo todos sabíamos que ia ser difícil.
Ela era uma pessoa muito extrovertida, junto dela só conseguíamos estar com um sorriso na cara, era uma mulher independente mas hoje ela está totalmente dependente, numa cadeira de rodas, não fala (diz não, diz sim e alguns nomes, mas mais não consegue) alimenta-se por uma sonda... enfim perdeu a sua força...
A minha família ficou mais pobre, ficamos mais fortes mas mais tristes... as festas de família (casamentos, aniversários, Natal) perderam parte do seu encanto.
Quantas famílias passam por situações semelhantes, quantas famílias perderam seu entes queridos nas estradas??? E quantas vezes isto aconteceu por inconsciência de um condutor que por ter pressa, por ter bebido álcool, por gostar de velocidades, por distracção mudou a vida de tanta gente.
Eu sempre tive muito medo da estrada, quando estudava fazia todos os fins de semana uma estrada muito perigosa em Portugal, vi muitos acidentes :( mas tive sorte... Sou uma condutora consciente mas já arrisquei algumas vezes sem ter tido noção disso. Porque estava com pressa, porque estava cansada... Mas desde este acidente fiquei ainda com mais medo... passei a andar menos de carro... e quando tem que ser não vou descansada.

Mas será necessário acontecer tais acidentes no nosso meio para sentirmos a necessidade de sermos mais cuidadosos na estrada?
É verdade que nas estradas não dependemos só de nós mas sim de todos que as utilizam, mas se cada um de nós pensar antes de meter a sua vida e a dos outros em risco penso que teremos um mundo melhor... com menos famílias desmembradas, menos famílias tristes e pobres.

E porque prevenir é o melhor remédio, vamos conduzir mais atentos, vamos dar bons exemplos aos nossos filhos... vamos contribuir para termos famílias felizes...
Pensem nisto e conduzam com cuidado....

(As imagens fazem parte de uma campanha de sensibilização aqui na Alemanha, contra os excessos de velocidade nas estradas)

8 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse... [Responder Comentário]

é muito triste quando alguém que gostamos sofre algo semelhante... e parece que as coisas têm ainda mais impacto perto do Natal... Que simboliza a união familiar.

O meu apelo é semelhante conduzam com consciência, se não o fizerem por vocês, façam pelo menos pelos outros...

Se bem que tenho para mim que muitos acidentes também são por erros de construção das estradas. O que exige de nós um cuidado extra.

Sarah disse... [Responder Comentário]

Puxa Sofia, que história triste... Eu passei por um acidente de carro com meus pais, nós três sofremos escoriações, mas em minha mãe foi a mais grave. Ela quebrou o braço direito em diversos locais, o cotovelo dela precisou ser reconstruído, colocaram placas e pinos no pulso e no cotovelo. Por muito pouco ela não perdeu o braço. E também aconteceu em uma época em que estávamos felizes: era o nascimento de meu sobrinho, estávamos indo de carro até a cidade da minha irmã para conhecer o pequeno.
Felizmente o desfecho não foi tão trágico como o de sua prima... Imagino a tristeza de toda a família quando chega essa época.
Concordo com vc, precisamos mesmo ter consciência nas estradas, e muito muito cuidado mesmo.
beijo grande

Fernanda disse... [Responder Comentário]

Imagino.
Na minha família perdemos 3 primos num só acidente, 2 dias antes do Natal, há uns 8 anos. Foi um choque terrível, ainda para mais porque ficaram duas meninas órfãs, de pai e mãe.

Eu sou muito mais consciente a conduzir, depois que fui mãe; agora não corro riscos, pois tenho muito a perder.

Beijinhos, Sofia.

Fabiana disse... [Responder Comentário]

Ahh se todos fossem conscientes e pensassem não só em si, mas no próximo...

Qtas lágrimas a menos cairiam...

Adriana Alencar disse... [Responder Comentário]

Sinto muito pelo que aconteceu a alguém que você amava tanto... Espero que Deus lhe compense de outra forma. Tenha um excelente fim de semana!
Bj
Adri

Flávia - Compartilhando Idéias... disse... [Responder Comentário]

Oi Sofia,
Vim agradecer a visita super carinhosa que você fez ao meu blog. Realmente aquela nossa humilde campanha Blogueira Educada vem ajudando muita gente, principalmente quem está iniciando na blogosfera, esse mundo virtual tão interessante!

Eu gostei muito do seu blog. Acabei de chegar e ainda não consegui ver onde você mora, se ainda mora no exterior ou não. Mas, vou me atualizando por aqui com o tempo... por isso vou seguir seu blog. Me identifiquei com alguns temas e gostei do seu jeito de escrever, se expressar.

Sinto muito pela tragédia que aconteceu.
Numa hora dessas nem temos muito o que dizer.
É muito triste e essas fotos mostram o quanto esse tipo de sofrimento é eterno.

Um grande abraço Sofia.
(seu nome é lindo!)

Cora disse... [Responder Comentário]

Nossa de fato é uma história tocante!!
Tenho medo da estrada, mas confesso muitas vezes me arrisco, sempre por conta da pressa!!
Infelizmente conheço pessoas que dirigem depois de beber...*(

É algo de fato para se pensar!

*))

Anónimo disse... [Responder Comentário]

La ringrazio per Blog intiresny

Enviar um comentário

Partilha comigo a tua opinião

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...