quinta-feira, 24 de março de 2011

Adaptação ao infantário, ama e afins - tempo sem a mamã

Tenho andado um bocado desaparecida daqui, pois estamos numa semana de adaptação à nossa nova rotina. Ser mãe a tempo inteiro tem destas coisas também. Até o Leo ter um ano era suficiente sairmos um bocadinho todos os dias até ao parque... mas agora com 18 meses ele precisa de mais, precisa de brincar com outras crianças, ver mais gente e aprender a falar alemão.
E esta semana conseguimos finalmente completar as nossas actividades semanais de forma a que seja possível que o Leo brinque muito com outras crianças, que explore, cresça e se divirta e que a mamã tenha um tempinho para ela e conheça outras mamãs (mudar de cidade deixou-me novamente sem amigas por perto :()
As actividades em que estou presente correm lindamente e o Leo até já começou a dizer umas palavrinhas em alemão :)
- Vamos 3 vezes por semana a um grupo de crianças e mamãs e ele brinca imenso;
- Vamos 1 vez à ginástica para crianças - Leo mais mamã, que embora o Leo não tenha participado em todas as actividade correu muito bem;
- E quero ir 4 vezes ao ginásio, um ginásio que tem um "infantário" integrado onde o Leo pode ficar enquanto a mamã tem um tempinho para cuidar dela.
E agora chegam todos os meus problemas:
O Leo tem 18 meses e está super dependente de mim (e eu dele uiui) é um bebé muito sorridente e consegue ocupar-se sozinho ou com outras crianças, sem mim, mas sabendo que eu estou no seu campo de visão (o que acontece no grupo de bebés e mamãs que a gente frequenta). O Leo só vai frequentar o infantário aos 3 anos mas como estamos num país longe da família e onde se fala outra língua acho importante que o ele conviva com outras crianças e que se familiarize com a língua. (pois cá em casa, mamã e papá portugueses, não falamos senão em português).
Hoje foi o nosso primeiro dia no "infantário", chegamos às 10h30, na sala estavam 2 educadoras e 2 bebés um pouco mais novos que o Leo, a chorarem desalmadamente :(. Fiquei 10 minutos com ele, ele estava bem contente a brincar e a explorar cada brinquedo que havia. Conversei com ele e disse que ia fazer ginástica e que voltava passado pouco tempo, tudo óptimo. Saí e ele ficou a brincar. Esperei 20 minutos no sofá que fica em frente da porta do infantário (acho que serve mesmo para isso lol) e o Leo não perguntou por mim, não chorou... uma maravilha :) (os outros dois continuavam a chorar muito)
Pelas 11h o Leo precisava de mudar a fralda e não deixou a educadora mudar e então chamou por mim e lá fui eu, mudei a fralda, ele todo contente que ia brincar deixei-o lá e passado 10 minutos ou nem isso foram-me chamar :S o Leo estava a gritar, não deitava uma lágrima, parecia super zangado. Abracei-o e acabei por desistir por hoje...
Agora sinto-me muito mal... eu não deixo o meu bebé chorar aqui em casa (quando é birrinha por vezes tenho que deixar né?) mas quando ele pede mimo e atenção eu dou sempre e agora estou a deixá-lo chorar porque quero fazer exercício e ter tempo para mim.... sinto-me má mãe por isso :(
Eu sei que ele precisa ouvir mais alemão, brincar com crianças mas fico a sentir-me culpada de ele chorar... tadinho...
Sei que muitas mães tem que passar por isto muito mais cedo e que têm que deixar os pequenos durante muitas horas no infantário. Eu só serão 2 horas no máximo de cada vez, mas será capricho meu... sinto-me egoísta por estar a pensar no meu tempinho, mas ao mesmo tempo acho que me faz tão bem.... sem família aqui o Leo está comigo 24h sem pausas desde que nasceu...
Mamãs que já passaram por esta adaptação ao infantário, ama e afins (eu estou integrada nos afins) como devemos agir para tornar as coisas mais fáceis???
Devemos deixá-los chorar?? Mesmo ficando com o coração partido?
Ou devo desistir deste "tempo sem a mamã"? ai....  a vida é complicada.

10 comentários:

Cora disse... [Responder Comentário]

Sofia,
não se sinta culpada, não.
Eles choram mesmo, pois como você mesma diz agora ela precisará lidar com sua vontades, até compeender que não precisa chorar ou ficar bravo para conseguir o que quer.
Diferentemente do que acontece em casa, quando um apontamento com dedinho realiza sua vontades, não é?

Na escolinha terá que lidar com as vontades dos outros também, ele não será o centro das atenções ali, pois tem que dividir a tenção com outros bebês.
Isso é de imenso valor emocional para a criança, perceber que ele vive com outras pessoas.
Com o tempo você sentirá diferença em casa, ele estará mais independente (claro dentro de sua idade).
Mais uma vez vou te dizer, não se sinta culpada por querer fazer algo por você. Não é por isso que se tornará uma mãe ruim, ao contrário você estará mais plena, mais leve e com isso mais disposta para ele.

Fica tranquila, ele vai ficar bem.
beijos.

Marcelo Vieira disse... [Responder Comentário]

Muito interessante seu blog, criei um também justamente pra trocas experiências sobre o lado pai da maternidade... estou apenas começando. Se puder dar uma força passa lá e me adiciona no blogroll.
mmppv.blogspot.com
MM Pais de Primeira Viagem!
mv.economia@yahoo.com.br
Att

Carolina disse... [Responder Comentário]

Sofia,
Adaptei minha primeira filha na escola aos 5 anos e foi muito muito muito sofrido pra mim e para ela. Eram choros de mágoa mesmo, vômitos de nervos na porta da escola, doenças psicológicas e mais de um mês de sofrimento diário. A segunda resolvi colocar na escola aos dois anos para ver se o problema era menor... e foi! Foi pouco mais de uma semana de choro na hora de entrar. Eu ficava parada na porta da escola para ver o quanto durava e esse choro durava menos de 5 minutos. O coração da gente fica despedaçado mas te digo que tuuudo passa e a adaptação é muito mais fácil quando a criança sente que a mãe está segura do que está fazendo. Se passares insegurança ao teu pequeno ou se ele ver que o choro funciona vai ser tudo mais difícil para vocês dois!

Beatriz Zogaib disse... [Responder Comentário]

Oi Sofia... faz tempo que não apareço por aqui, mas voltei e adorei seu post. Eu também moro longe da família( não tanto quanto você!) e vivo com Léo 24 hr. Também quero deixá-lo ir para a escolinha com 3 anos... Mas achei ótima a idéia de ir fazer ginástica e ter um lugarzinho com educadoras logo ali, do meu lado... Puxa, aqui não existe isso... SE existisse eu iria tentar! Também sinto o meu filhote precisando de outras crianças e essa seria uma opção bem legal, assim como o clube de mães que você anda frequentando... Ai, como é bom primeiro mundo!!!
Aproveita, tenha coragem e pense que é para o bem dele e seu!
beijos
Bia (www.vidadamami.blogspot.com)

Mãe Feliz disse... [Responder Comentário]

Olá Sofia. O meu menino foi para o infantário faz agora um mês e nos primeiros 3 dias tb sofri, pois sempre que o ia buscar ele estava a choramingar e assim que me via começava a dar aos braços e às pernas de alegria. Depois começou a conhecer o espaço e as pessoas e raramente o encontro a chorar quando o vou buscar. Quando fica tb não chora e pergunto às auxiliares se ele chora muito e elas dizem que não, apenas quando está aborrecido com sono. Custa-nos muito deixar um filho seja ao cuidado de quem for, mas tb precisamos de ter um tempinho para nós e o que importa é termos a certeza de que ficam bem.

Com o tempo vais ver que ele começa a reconhecer para onde vai e começa a ficar melhor, sem chorar.

Beijinhos e boa sorte

Mãe Feliz disse... [Responder Comentário]

Olá Sofia. Os primeiros dias são sempre muito sofridos. Eu sempre que ia buscar o meu menino e o encontrava a chorar, tb me vinham as lágrimas aos olhos de tanta tristeza e sentimento de culpa. Com o decorrer do tempo, vi que que ele já conhecia o espasso e as pessoas e ficava contente e a sorrir e agora raramente o encontro a chorar...

O tempo para nós tb é importante e eles gradualmente habituam-se e gostam do tempo que passam com outras pessoas.

Beijinhos e tenho a certeza que daqui a uns dias vens cá contar que o Leo está a daptar-se de forma fantástica...

ESpeCiaLmente GaSPaS disse... [Responder Comentário]

O meu ainda está comigo e é um Zé vai com todos... se for outra pessao a mudar-lhe a fralda ou a dar-lhe comida aceita bem e acho que até prefere (deve sentir curiosidade)... mas não sei como reagirá numa situação dessas.... Quando for a minha vez venho cá pedir-te ajuda :)

Força!

Débora disse... [Responder Comentário]

Sofia
Também tremo só de pensar nessa hora que meu filho vai ter que ir para a escolinha. O Diego tem 1 ano e 8 meses e também passa 24h do dia comigo... Por aqui, também decidimos que aos 3 anos ele vai para a escolinha e já fico pensando nesse momento.... acho que todo processo de mudança é muito difícil no início, mas a gente tem que ser forte, pois essa separação vai ser inevitável, seja aos 2, 3, 4 ou 5 anos... Chega uma hora que eles vão ter que ir para a escolinha e pronto. Não se sinta culpada... tente ser forte e procure ir fazendo a adaptação dele de uma forma gradativa para não se tornar um trauma... Daqui a um ano, venho aqui de novo para reler esse comentário, pois vai ser a minha vez de enfrentar esse momento...rsrsrsrsrs... Beijinhos e um ótimo finde

Cidalia disse... [Responder Comentário]

Olá Sofia,

Como sabes eu já passei por isso duas vezes, era muito dificil deixá-los a chorar e eu ter que virar costas e ir trabalhar quantas vezes a chorar também.
Todos nós passamos por isso, mas tens que pensar que poderes levá-lo duas horas por dia é uma forma de ele se ir adaptando gradualmente e quando for para o infantário já não vai ser difícil deixá-lo o dia todo.

Além disso estás no mesmo edifício que ele, qualquer coisa e estás por ali perto. Apesar de tudo para o primeiro dia até correu bem pois ele ainda esteve algum tempo a brincar sem ti.

Vais ver que tudo corre bem, é mais uma etapa em que tendes que a ultrapassar os dois juntos, e cuida de ti porque também precisas de um tempinho teu, isso não te faz má mãe. Se isso é ser má mãe então teríamos muitos dias de conversa para explorarmos esse assunto...
Gosto muito do teu blog!!
Beijocas

Fabi a loba!!! disse... [Responder Comentário]

Sofia desistir... jamais... passei por isso tb, sofri por longos 3 meses quando levei a Daphyne para a escola, todas as crianças já haviam deixado pra lá as suas mães e a minha ... nada... Aqui chamamos de período de adaptação e o dela durou 3 meses.
Levava-a para a escola e ela agarrava em mim, com calma e paciência ia se soltando, no começo ficava 2 hs no máximo e eu no sofá ouvindo os berros dela, eu chorava feito louca, coração despedaçado, com o tempo ela foi entendendo que só iria brincar um pouco com outras crianças e logo a mamãe estaria de volta.
O que ajudou muito foi o método da escola que é construtivista e assim pude em muitas vezes participar da adaptação dela. Até que um belo dia quando chegamos na escola ela virou pra mim e me deu tchau, fiquei besta, de queixo caído, chorei muito, sofri horrores, mas valeu a pena.

Nossos filhos precisam ter contato com outras crianças e perceber que o mundo é imenso lá fora, não desista, seja firme, quando ele perceber que vc não está o abandonando, irá aceitar e curtir a escolinha.

Não se ache uma mãe horrorosa, pois não é. Logo, logo ele vai estar falando alemão melhor que vcs...rsrsrs...
O desenvolvimento dele depende somente de vc, essa é a primeira vez que vc irá soltá-lo para "o mundo", e infelismente haverá outras milhares de vezes, acostume-se como eu me acostumei.

Espero ter sido clara, qualquer coisa só dar um grito, estou aqui pra ajudar... no que puder...

Boa adaptação para os dois ... beijos

Enviar um comentário

Partilha comigo a tua opinião

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...