segunda-feira, 11 de abril de 2011

Concentração pode-se aprender?

Pessoas concentradas são calmas mas não paralisadas, são sim pessoas atentas e com potencial. E é num ambiente calmo que uma criança aprende a estar acalma e concentrada. Uma criança de apenas um ano poderá ser capaz, se o ambiente lhe proporcionar essa ajuda, brincar durante 1 hora completamente concentrado com blocos de Legos, juntando-os e separando-os. As interrupções durante estes momentos são fatais para a sua concentração (quantas vezes já vi o Leo a brincar sozinho caladinho e concentrado e lá vou eu perguntar: "Morzito que estás a fazer?") e a criança acaba por aprender a se ocupar sozinha por períodos muito curtos.
Neste sentido, é importante que antes de querermos que os nossos filhos aprendam a se concentrar, nós próprios o consigamos fazer e que entendamos a importância que isso tem para a nossa vida.

Ter um estilo de vida calmo, fazendo o nosso dia-a-dia tendo claras as nossas metas e desafios. Não tentar fazer tudo de uma vez, acabando por não fazer nada...  Em vez disso, faz cada coisa com a maior dedicação, entrega-te. Dá atenção aos outros, ouve, tenta respeitar cada ponto de vista, mesmo que sejam contrários dos teus. O nosso mundo é tão diversificado, existem tantas coisas para descobrirmos... temos que estar em equilíbrio para que possamos dar valor ao que nos é oferecido. E para isso não nos podemos dar ao luxo de pasmar para a vida, e não se confunda aqui descansar com pasmar. Pasmar é deitar fora tempo de vida. Descansar é recarregar energias e só precisamos descansar quando as energias se acabam.


Mas não dispersando demasiado nos meus desvaneios de pensamentos...

A concentração pode sim ser aprendida mas não forçada. Se não permitimos um ambiente propicio, se não temos uma vida calma e dedicada, como poderemos transmitir essa necessidade ás nossas crianças?
Não adianta ficar ao lado da criança e dizer: "Agora vais-te concentrar.", com este comportamento só conseguiremos criar pressão e impaciência. Concentração exige uma "vontade" e um "à vontade". As crianças aprendem por imitação, se lhe mostrarmos calma e interesse pelo saber, fazer e fazer-bem iremos contagiá-las.

Já passeaste com o teu filho pela natureza de forma "exploratória"??? Explora com o teu filho, e para o teu filho, o mundo novamente: "Quantos tons diferentes de verde conseguimos distinguir na natureza?", "Que formas têm as pétalas das flores?", "Que elementos na natureza consegues conhecer só de apalpar?", "Que sons consegues identificar só de ouvir?"
Treina a tua percepção com o teu filho, estes jogos de perguntas de exploração são divertidos e uma percepção treinada é um pré-requisito para a aprendizagem e compreensão, além de desenvolver a capacidade de concentração. Quem observa superficialmente aprende superficialmente... e superficialmente muitas coisas são iguais. E porque é que temos que aprender coisas que não nos trazem nada de novo? Somente quando sabemos porque é que temos que aprender, aprendemos com motivação, entusiasmo e interesse.
Só quem vê o significado de determinada actividade consegue se absorver na mesma. Só quem compreende a importância da capacidade de concentração, da capacidade de pensar "com todas as cartas" consegue analisar e questionar seu próprios valores, suas próprias metas e desafios: "quem?", "onde?", "quando?", "porquê? e "o quê?". Terá ferramentas para aprender, para saber falar, ouvir e questionar...

Crianças são crianças têm muita energia e precisam libertá-la e se não queres que ela seja libertada na tua falta de paciência, na paciência de um professor ou de um coleguinha da escola concentra-te na educação do teu filho... ajuda-o a pensar, a ouvir, a questionar. Não acredito que uma criança mal comportada ou irrequieta em casa faça o mesmo num passeio exploratório pela natureza. De uma coisa pode estar certa, o teu filho será uma pessoa mais calma e equilibrada se se souber concentrar-se mas para isso tens que lhe mostrar que também és capaz de o fazer, que és capaz de te envolver.... e  não é a preencher o seu horário de actividade mas sim a passar mais tempo juntos, a questionar mais, a brincar mais a envolver-te mais. Nunca ninguém disse que educar era fácil....
A próxima vez que achares que o teu filho ou o filho do vizinho são irrequietos, mal comportados, desatentos não te esqueças que eles são crianças e crianças têm muita energia por natureza que só será bem canalizada se lhe dermos uma ajuda, e no meu modesto ponto de vista tudo não passa de uma questão de concentração. Que envolve não só a criança mas toda a família.

4 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse... [Responder Comentário]

Gostei deste tópico :)

E é bem verdade o que dizer... quantas vezes já eu interrompi a concentração do meu Piki hehe :P mãe marota!

Felizmente ele consegue concentrar-se em actividades sozinho ou acompanhado e tem um ambiente calmo :)

Luana disse... [Responder Comentário]

Sofia,
Meus dois filhos sabem brincar sozinhos e se concentram muito bem, mesmo eu sendo a louca que sou, que só fala alto, agitadíssima e impaciente. Agradeço à natureza, pois acho que se dependesse só de mim, eles seriam impossíveis.
E concordo com você que criança tem mesmo que gastar energia!

Beijos

Tuka Siqueira disse... [Responder Comentário]

Para que eu possa educar minhas filhas a concentrarem-se precisaria me separar do pai delas... rsrsr
Marido tem o dom de incomodar as crianças quando estão quietas, de pertubar o sono quando estão dormindo... é um chato!
Vivemos "brigando" por causa disso, mas não adianta, ele não aprende.

Abraços

Fabi a loba!!! disse... [Responder Comentário]

Sofia, minha filha se concentra muito bem em suas brincadeiras, sem problemas, mas na hora da lição, desligo Tv, sento ao seu lado e peço a cooperação do marido para não falar comigo e nem com ela, até os celulares desligo para não interromper, ao contrário bau-bau concentração...
Beijos

Enviar um comentário

Partilha comigo a tua opinião

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...