quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Que regras deve e consegue o meu bebé aprender?

Um bebé quando nasce não tem ideia do que é certo ou errado, do que desejado que ele faça ou não. Mas ele está pronto para observar as reacções dos pais ao seu comportamento. Tais observações são a chave do seu desenvolvimento, da compreensão de que existem regras e limites a serem tidos em conta, no entanto os seus meios para atingir os fins ainda não têm fronteiras delimitadas.
Annette Kast-Zahn no livro "Jedes Kind kann Regeln lernen", propôs um conjunto de regras que um bebé no seu 1º ano de vida consegue aprender e com as quais este, em especial a partir dos 6 mês, consegue definir a sua visão do mundo. Todas elas elaboradas do ponto de vista do bebé.
Achei bastante interessante esta abordagem por isso aqui ficam para analisarem e claro darem a vossa opinião.
  • Eu recebo o que quero
    • "Quando eu grito, alguém trata de mim";
    • "Eu só durmo se alguém me embalar no colo";
    • "Quando eu quero recebo alguma coisa para comer, seja de noite ou de dia";
    • "Quando não como a papa ou a sopinha, a mãe dá-me o peito/biberão";
    • "Quando choro no carrinho de bebé, a mais tardar em 5 minutos estou no colo de alguém".
Aprende o seu filho estes pontos em contextos semelhantes? Então ele está a aprender a regra: "Acontece sempre o que eu quero. Os meus pais provavelmente não têm as suas próprias necessidades."
  • O que eu preciso não conta
    • "Eu tenho sempre que beber o leite todo tenha eu fome ou não";
    • "Eu tenho todas as noites de ficar na cama 12 horas, mesmo que eu só consiga dormir 10";
    • "Depois de cada refeição sou imediatamente colocado de lado, ninguém se ocupa comigo";
Em oposição com as regras anteriores aqui o seu filho aprende: "Acontece sempre o que os meus pais querem.  As minhas necessidades são ignoradas".

Ambos os tipos de regras mencionadas acima têm desvantagens significativas. Mas existe um terceiro tipo: As regras recomendadas para o 1º ano de vida do bebé:

  • "A minha mãe decide quando me deve oferecer comida e o que deve oferecer. Eu posso decidir se quero comer muito ou pouco daquilo que ela me oferece";
  • "Quando eu estou satisfeito e com bom humor a minha mãe brincar muito e de forma dedicada comigo";
  • "Quando eu choro recebo tudo o que eu preciso, se ainda continuar a chorar recebo menos atenção dos meus pais";
  • "Os meus pais ocupam-se de forma dedicada comigo várias vezes ao dia. No entanto, quando eles têm alguma coisa importante para fazer eu devo distrair-me sozinho mesmo que não goste disso";
  • Na nossa casa eu posso explorar quase tudo, mas existem coisas que eu de maneira nenhuma devo mexer";
Aprende o seu filho neste tipo de contextos? Então ele pode e consegue aprender ao mesmo tempo:
"Eu recebo dos meus pais tudo o que eu preciso, mas nem sempre tudo o que eu quero. Os meus pais respeitam as minhas necessidades, por vezes eles sabem melhor do que eu o que é bom para mim."

Segundo a autora, e com a qual eu concordo, estas ultimas são regras justas para ambas as partes envolvidas, que incluem as necessidades do bebé, mas podem por vezes também ser dirigidas contra a sua vontade. Regras que criam limites justos sem reprimir a personalidade que se está a criar.
Ela refere também contextos e regras para crianças mais velhas, um livro deveras interessante, pena que ainda não se encontre traduzido. Mas eu irei partilhando o que achei mais interessante e me fez pensar.

Tenham um óptimo dia :)

4 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse... [Responder Comentário]

Uso e aplico:
As regras recomendadas para o 1º ano de vida do bebé! :))

Sempre mamou o que quis e quando quis.
Nunca o forcei a comer. Qd recusa não insisto.
Sempre dormiu bem, muito e as horas que quis.
Existem coisas proibidas de mexer.

Camila disse... [Responder Comentário]

Grandes dicas! Excelente post!
Bjos,
Camila
http://mamaetaocupada.blogspot.com

Vilma disse... [Responder Comentário]

Olá! Vi que vc se tornou minha seguidora no Vivendo com Arte. Vim agradecer e dizer: Bem-vinda!!!
Abraço

Fernanda disse... [Responder Comentário]

Sem dúvida que os bebés aprendem através das reacções dos pais; não compreendo como dizem alguns pais, quando os filhos fazem algo errado, tipo bater noutra criança, que não sabe o que faz. Acho que sabe, e sabe que não se faz, mas faz. Agora, faz porquê? Essa é que deveria ser a questão.
Eu respeito a opinião dos meus filhos, mas imponho as minhas regras; também não entendo porque alguns pais perguntam a opinião dos filhos para tudo, quando eles não têm ainda maturidade para responder responsavelmente. Como dizem os ditados " no meio é que está a virtude", "nem sempre nem nunca"; devemos auscultar, mas a palavra final é nossa e em determinadas questões, a nossa deve ser definitiva.
Pronto, fugi um pouco à questão, porque os meus já não são bebés, hehehehe...

Bom fim de semana, Sofia!

P.S. Quando muitos querem sair do pais, tu queres voltar?! Será que ainda vamos ser vizinhas?!

Enviar um comentário

Partilha comigo a tua opinião

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...