segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Importância dos hábitos de leitura - Efeito de Mateus


A leitura tem consequências cognitivas que vão além da aquisição de conhecimento e compreensão de determinado fenómeno ou situação. Existem evidências e estudos realizados que revelam que a quantidade de leitura na infância (independentemente da qualidade, aliás) tem consequencias mensuráveis no nível de inteligência do adulto. E quanto mais cedo a criança adquirir o hábito de ler maiores e melhores são as consequências.
A influência da leitura no desenvolvimento cognitivo do individuo foi esclarecido através do "Efeito de Mateus do desempenho escolar" por Stanovich, 1986.
O efeito Mateus retoma uma parábola bíblica do senhor que chamou os seu servos, dando a um 5 talentos, a outro 2 e ao terceiro 1 talento e recomendando que os fizessem frutificar. O que recebeu 5, trabalhou e conseguiu outros 5. O que recebeu 2 agiu do mesmo modo e conseguiu 4. O que recebeu 1, com medo que o roubassem foi escondê-lo debaixo da terra. O senhor regressou, chamou os servos e pediu-lhes contas pelos talentos dados. O que tinha recebido 5 apresentou 10; o que tinha recebido 2 apresentou 4; o que recebera 1 apresentou-o e devolveu-o. E então o senhor louvou os que tinham duplicado os talentos. E pegou no talento que tinha estado enterrado e ordenou: – Tirai--lhe o talento e dai-o ao que tem dez. Porque, a todo aquele que tem, será dado mais, e terá em abundância. Mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. (Mateus, 25, 28-29)
Uma criança que cresce junto com livros desde cedo é incentivada a aprender a ler e tendo esta capacidade terá interesse em ler mais e mais, o que será determinante para o desenvolvimento das suas capacidades cognitivas. O sucesso inicial é uma das chaves que abre uma vida de hábitos de leitura. O exercício posterior desses hábitos servem para desenvolver a capacidade de compreensão da leitura numa lógica de feedback-positivo. As Crianças sem esses hábitos e com dificuldades em adquiri-los vão manter-se num nível de desenvolvimento anterior. Quanto mais e melhor se lê mais se quer ler.
Mais sobre o assunto podem ver neste interessante artigo que aconselho a leitura:  
What Reading Does for the Mind de Anne E. Cunningham e Keith E. Stanovich.

E mais posso acrescentar: "Ler muito e muito bem. Dá saúde e faz crescer"

4 comentários:

Cora disse... [Responder Comentário]

De fato a leitura aumenta nosso vocabúlario, compreensão de mundo, além de tantos outros " benefícios"!
Mas eu acredito que um comportamento leitor não se disperta, a pessoa gosta ou não de ler, simples assim!
Vejo meus alunos, alguns tem dificuldade para largar o livro que esta lendo, outros choram para não ler, não adianta, ler é algo que nasce conosco! (na minha opinião)!
Bom post. Um baraço, Cora.

Sofia disse... [Responder Comentário]

@CoraOlá Cora,
Obrigada por partilhares a tua opinião. Eu pessoalmente não concordo que uns de nós nasçam com gosto para a leitura e outros não. No meu ponto de vista a questão é mais onde se nasce do que com o que é que se nasce. Claro que existe uma predisposição genética para sermos de determinada forma mas o ambiente em que somos inseridos é que vai moldar essa predisposição. Esses teus alunos com mais dificuldades ou com menos gosto para a leitura são incentivados em casa para o fazer? Ler ou ouvir ler é algum que os acompanha desde bem pequenos? Os pais ou irmãos lêem? Acho que estas sim são as perguntas chave e que vão determinar se uma criança gosta ou não de ler.
Provavelmente "digo eu" esses alunos que têm menos gosto pela leitura perderam o primeiro comboio, já estão num nível anterior e desta forma torna-se mais difícil todo o processo de criação de aptidões para ser um bom leitor. E aí se denota a diferença entre aqueles que adquiriram cedo o gosto pela leitura e estes.

Fernanda disse... [Responder Comentário]

Eu vou dar uma certa razão à Cora; o acesso à leitura pode favorecer a aquisição deste hábito, mas não só por si, entendes, Sofia?

Por ex. eu tenho 2 irmãs, todas tivemos acesso à leitura, só eu sou leitora (compulsiva, até). Na família do meu marido aconteceu o mesmo, somente a irmã mais nova dele tem a leitura como passatempo. Se bem que o meu marido não tem tempo e quando tem é para ler livros técnicos.
Com os meus pequenos vejo que um lê espontaneamente, enquanto outro, na maior parte das vezes, só quando eu sugiro.

Tem a ver com gostos pessoais. Dito isto, concordo totalmente com os benefícios da leitura!

Boa semana.

Edna Lúcia disse... [Responder Comentário]

Oi Sofia,obrigada pela visita no meu blog e por me seguir,será sempre bem vinda no meu cantinho!
Amei seu blog,educação é um assunto que me interessa,pois já tenho até netos e também ensino no ministério infantil da minha igreja.
Eu até concordo que uns tenham mais gosto que outros por leitura,mas concordo plenamente com você que se a criança for estimulada desde cedo,já com livros só de figuras mesmo,e se os adultos contar a histórias dessa figuras,e com o exemplo dos pais,pois, meu filho não vai tomar gosto por leitura,se eu não gostar de ler.

Estou te seguindo também.Deus te abençoe.
Beijo.

Edna Lúcia
http://paninhoseafeto.blogspot.com/

Enviar um comentário

Partilha comigo a tua opinião

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...